sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Tem coisa que escoteiro não deve fazer num ônibus (parte 1)

A roupa de escoteiro hoje é mais discreta, calça jeans e camisa azul de aviador. Mas no meu tempo era aquele conjunto de brim cáqui com bermuda. Cada grupo escoteiro tinha o lenço (aquilo que os leigos chamam de gravata) de cores diferentes, camisa cheia de distintivos (graduações e especialidades), era uma beleza. E nada tira da cabeça deste perverso que a mulherada sente atração pelo uniforme de escoteiro na mesma proporção que os caras pelo das colegiais.

Eu cresci muito rápido e minhas pernas são naturalmente grossas. E o uniforme de escoteiro não acompanhou o crescimento. Então era um varapau de 13 anos e bermudinha apertada sábado no fim da tarde voltando de ônibus da reunião do grupo escoteiro. Eu morria de vergonha daquele uniforme.

Tá bom que eu era escoteiro, fazia boas ações, mas já tinha muito dessa atração doentia por rabo-de-saia. O ônibus estava bem vazio, eu passei na catraca (coisa que mais odeio na vida, mas isso é outra história) e aquela morena bonita, uma mulher pelos trinta anos, me olhou de cima até embaixo. Não teve jeito, sentei do lado dela. Foda-se o cobrador curioso.

(continua)

10 comentários:

Flavinha Mel disse...

Bom, atração por uniformes é fato. Não importa se é de escoteiro, marinheiro, bombeiro...TODOS são interessantes.

*** Mas Gustavo, de uma maneira "perversa" fiquei imaginando este seu conto. Menino de 13 anos (com cheirinho de leite ainda !!!), pernas grossas, de uniforme...humm...se quiser eu mesma continuo a segunda parte deste conto...

Sweet Toxicant disse...

Hahahaha!!

Eu, particularmente, gosto mais dos uniformes do exército, da polícia. Dos escoteiros, não. Eu nunca fui chegada nos meninos novinhos... hehehe!

Altavolt disse...

Eita que este MCP começou bem demais! Deve vir muita coisa boa nos próximos capítulos! Aos 13, a gente sempre estava de prontidão...fase muito boa, das descobertas deliciosas! Manda o resto, Gustavão! Abraço!

Confissões de Lolita disse...

Adorei a idéia...

Mas a perversidade fica por conta de nos fazer esperar!

Espertinho!

Estou de olho...

Vampira Dea disse...

E então: Aí vem mais uma história digna de Nelson Rodrigues. Ai ai, rsrsrsr, na expectativa.

Patricia Garbuio Bittencourt disse...

Escoteiros...me lembram meus cunhados.Também prefiro muito mais um marinheiro,um policial,um bombeiro.
E realmente esses meninos de 13 anos adoram as mães dos amigos,experiência própria.
Me divirto com os comentários,as historinhas...

Mari - é como quero ser chamada. disse...

Idem Sweet Toxicant. Acho de escoteiro algo entre broxante e no mínimo, engraçado.

Carol disse...

Hum... levando em consideração o uniforme, as pernas grossas e a mente perversa... eu estou louca pra saber a continuação!
Mas uma coisa me intrigou ainda mais: a história da catraca. Melhor contar também, ao invés de deixar minha cabecinha imaginar...

minicontosperversos disse...

Flavinha Mel - você está se saindo uma bela de uma perversette, hein? delícia!

sweettox / mari - isso porque vcs não conhecem a historinha do canivetinho suíço

alta - treze é o tempo que nem dá pra andar pela casa de pijama sem cueca, pois a barraca não desarma nunca!!

lolita - shhhhhhhhhhhhhhhhh

vampiradea - quem dera; não conseguimos carregar tanto no moralismo

paty - agora conta pra gente d"os comentários, as histórias"... curiosidade

carol - primeiro conta pra gente aqui o que sua cabeça imaginou...depois explicamos a história da catraca (aliás, é mais um sentimento que uma história)

Carol disse...

Um sentimento? Acho que minha mente está é muito pervertida... Mas se você der uma dica sobre qual sentimento... eu saberei se a imaginação é só loucura... ou não!

Sobre os comentários e histórias que a Patrícia mencionou... também quero saber... aposto que dariam ótimos MCPs!

Ah, fiquei curiosa: qual é a história do canivetinho suíço?