terça-feira, 15 de setembro de 2009

Museu de cera ou trem fantasma

Vagando entre as representações vulgares do museu de cera, sinto um vento frio de mofo, provavelmente encanado de alguma entrada de ar. Impossível conter o arrepio. Algumas das imagens são violentas. Uma pequena placa diz que a roupa rasgada da atriz famosa estupro-assassinada em Bucareste é autêntica. Comprada num leilão antes do tempo do e-Bay, penso. O sangue de tinta barata limita o poder de encantamento.

Ela passa rente a mim e insinua um sorriso malicioso. Não tem medo nos olhos. Aliás, parece que o olho esquerdo é de vidro. Porta do banheiro entreaberta, cinta-liga sob a saia arriada, entro sem pedir permissão.

Textura de cera na pele, temperatura elevada entre as pernas, não estou certo se ela é real, mas cedo a minha tentação de macho. Ela, silenciosa, emite pouco mais que uma respiração pesada. Minha cera se funde à dela.

Ela vem comigo até a saída mas não me acompanha. Nas imediações, numa mesa reservada que permite observar a saída do museu, começo a noite aquecido por conhaque e café.

:: 15.09.2009 ::

33 comentários:

Mari - é como quero ser chamada. disse...

Aaaaaaaaaahh funré.
Este é meu guapo.
;)

Carol disse...

Hum... conto novo no melhor estilo MCP... eletrizante, insinuante e detalhista na media exata. Ao lê-lo, quase fazemos parte do enredo, embarcando na aventura junto com o personagem. Ah, mas não é só isso! A grande sacada é que, ao mesmo tempo, nos deixa curiosos, instigados... permitindo assim que o devaneio de cada um que lê se encarregue do resto...
Como sempre, sublime... sensacional !
Admiro seu talento em “brincar” com as palavras, observar e retratar a realidade (ou a ‘fantasia real’).
Por contos ‘perfeitos’ como este que o livro é um sucesso absoluto!
Estava com saudades daqui.

Vampira Dea disse...

Ainda dá pra aproveitar e depois fazer uma depilação.

disse...

Adorei o conto novo e agora estou doida por café com conhaque.

Altavolt disse...

Puerra, Gustavão, não está deixando escapar nem as mulheres de cera! Brincadeiras à parte, mais um belo MCP! Abraço!

Extase disse...

Delicioso o conto, eu tambem quero conhaque no cafe com café....um adorei a foto, amo mulher com esse tipo de langerie

iaiá disse...

transar com mulher de cera é como com boneca de inflar de sex-shop? fiquei com a pergunta na cabeça.

Marco Oliveira disse...

Valeu pelo elogio e pela visita ao Etc S/A. Não conhecia o MCP mas não precisa muito para virar fã. Realmente muito bom e diferente.

Mereceu um link lá no Etc.

Grande abraço!

BitterSweet disse...

Não há quem resista a uma cinta-liga! Irresistiveis, e provedoras de fogo sem fim... ahhh se todos soubessem usufruir dela...

J i l s disse...

acho q entendi a metáfora... ou to pirando de mais? ou tem a ver com a tua fase atual?

hehe...

ah e a próxima q tu achar de cinta liga manda pra cá ... q a situação tá braba hehe

bjus

nin@ disse...

caraca...me deu até um arrepio na espinha...fiquei morrendo de inveja da fêmea de cera... ou seria da xícara de café... ou então do copo de conhaque...sei lá, qquer dia desses tira minha dúvida???
bjinhos

minicontosperversos disse...

mari - do que se trata "funré"? faltamos a aula naquele dia

nem deus sabe. ele deu como resposta: "Você quis dizer: funrio"

carol - quem dera os jornais colocassem você para fazer as cr[íticas do MCP... estaríamos com o pé na ABL

vampiradéa - derreteria qual parte do corpo dela?

má / êxtase - diferentemente do narrador, ficamos com cerveja e conhaque (não no mesmo copo, óbvio!)

alta - o cara não ia achar coisa melhopr num museu de cera, certo?

iaiá - vamos contar uma parábola para "ilustrar" a resposta:

----------------------------------

um dia o cara recebeu o salário e resolveu "investir" numa casa de "tolerança", e como estava na época do aniversário, decidiu ir na maior da cidade, um puteirão de seis andares. na recepção já explicaram: em cada andar tem uma "catigoria" de prestadoras de serviço.

o cara pegou o elevador pro primeiro andar e nem desceu. uma plaquinha dizia "modelos e atrizes globais, a partir de R$ 1.500". tá que ele queria curtir, mas não estava com aquela bola toda no aspecto financeiro.

já pulou para o terceiro andar, qm que a plaquinha dizia "mulheres lindas que fazem TUDO - R$ 600,00"

e foi pro quarto, quinto... desceu no sexto, que só tinha a plaquinha assim: "programa + latinha de cerveja = R$ 80,00"

ele circulou por ali e as moças, a despeito de beberem demais e estarem um pouco acabadinhas, eram bem atraentes. já estava se decidindo por uma quarentinha que não parava de fumar mas tinha umas coxas deliciosas e duas turbinonas soliconadas, quando viu uma plaquinha apontando pra uma escada, e resolveu subir.

a escadinha dava para a cobertura, um patio abertão, e ali tinha uma plaquinha que dizia "R$ 30,00". ali, deitadinha, nua, estava uma "acompanhante até que bonitinha. não teve dúvida, mandou ver nela e desceu pra fechar a conta.

valor acertado a vista, estava nosso amigo saindo numa boa, ao que uma recepcionista perguntou (é, puteiro de classe tem pós-venda): "o que o senhor achou do nosso "selvício?"

"olha, gostei viu. mas a moça era muito quietinha, meio inglesinha."

a recepcionista pegou o telefone e disse: "aderbal, troca a defuntinha lá da cobertura que ela já esfriou."

----------------------------------

DIVERSÃO ASSIM SÓ ENCONTRAM OS LEITORES DE FÉ QUE ACOMPANHAM OS COMENTÁRIOS!!!!

sacou a metáfora, iaiá? às vezes estátuas de cera, bonecas infláveis e inglesinhas surtem os mesmos efeitos

marco - a rec[íproca é a mesma e comentamos lá; a sutileza das suas tiras é sensacional; e humor sutil é o que há de melhor; claro que vamos fechar a parceria

biter sweet - você sabe? passivamente ou ativamente?

jils - ah nãoooo, conte pra gente como vc entendeu a metáfora...

ok, combinado; vamos trocar "figurinhas" com cintaliga; vc manda as suas e nós mandamos as nossas; mas não é telefone não, tem que ser em espécie

nin@ - você preferia ser uma boneca de cera ou uma xícara de café com conhaque?

BitterSweet disse...

Guri, eu sei usar a cinta-liga! nunca conheci, minto conheci um cara que resistiu por algumas horas... bem, entao sao poucas as pessoas que resistiram a minha cinta-liga... sei usufruir dela xD

Marcos disse...

Cara, pelo visto, o mimimimimimi é mais um daqueles sites absolutamente sem noção. Só aquilo mesmo, hahaha... A graça (ou a falta dela) está nisso)

Abraço

maria disse...

PARABÉNS PELA INDICAÇÃO NO BLOG DO NOBLAT!!!

Lelli Ramz disse...

Adorei a indicação d Diego Seixas de Brasília para ler teu blog

Vamos para outros museus, fundir outras ceras... e fazer cenas???

bjinhus, museus e cintas

Lelli

DIZDIZENDO disse...

Saudades destes escritos...
Lembrei de uma ceda de Blecaute, do Marcelo Rubéns Paiva.

Beijo grande.

DIZDIZENDO disse...

nao é ceda, é cena...
=]

nin@ disse...

Ah, eu toparia ser até uma cervejinha, com rodelas de salamito pra acompanhar, e depois umas sobras de carne da casa da mammy, o q acha???
Bjokas

Altavolt disse...

Isso é o que podemos chamar de aproveitamento total das situações.

Vampira Dea disse...

Menino fica dificil dizer pq se a depilação fosse em mim precisaria derreter um pedacinho minimo qualquer, pq eu quase não tenho pelos no corpo, mas se fosse de um marmanjo peludão, joga logo essa mulher na panela.

vinilliterario disse...

Cera quente.

minicontosperversos disse...

BitterSweet - recado dado, propaganda feita, agora o grande dilema: EU QUEROOOOOO

marcos - sensacional um cara investir tempo naquilo; de repente roa uns adsense...

maria - alguém lá dos tops gosta de nós II; valeu pelos incentivos

lelli - agradeça MUITO ao diego, e volte sempre; e... sim, vamos fundir ceras, com ou sem cintaliga, mas sem fazer cenas

dizdizenda - a cena se passava em bucareste? o "ceda" não seria um "chiste" para seda? coisa pra embalar começo de FDS?

e as macumbas no dizdizendo, pararam? [podem ir lá ver nos comentários, moçada; é uma coisa impressionante]

nin@ - sobremesa com ou sem chantilly no final?

alta - estratégias bem pensadas para extrair grandes (e prazerosos) acontecimentos de pequenos momentos; e não adianta negar que o amigo aí está no caminho

vampiradea - recado dado, propaganda feita, agora o grande dilema: EU QUEROOOOOO [2]

leia-se, não a depilação; pergunta: sangue de índio?

vinilliterario - fervente

Vampira Dea disse...

A melhor coisa desse blog é a sutileza de todo mundo rsrsrsrs.

Vampira Dea disse...

Sabe eu nunca tomei café com conhaque só puro ( conhaque é claro). Vou experimentar hoje pra ver o q acontece.

nin@ disse...

com e sem chantilly, pode ser... vamos por etapas...degustação demorada e cm vc mesmo disse, pazeroza...

minicontosperversos disse...

vampiradea - não fosse essa "sutileza", que graça teria?

experimentou? como foi? melhor que redbull?

nin@ - paz, muita paz nessa hora

Cassiana disse...

hmmmm, um conto com poder de encantamento ilimitado!

(ah, e cera quente, definitivamente rs)

beijo

minicontosperversos disse...

cassi - quem dera o contista tivesse o mesmo poder, bela

então, melhor quando a cera é quente

e essa de GTI judiou... e esclareceu muita coisa

Vampira Dea disse...

Menino, não deu em nada, acho que essas coisinhas de álcool já não mexem mais comigo.Mas é bem diferente, gosto de sabores diferentes.

minicontosperversos disse...

vampiradea - tem coisa que combina mais com conhaque que café; uma delas é o frio

aqui tem muito disso... dos dois (coisa e frio)

Vampira Dea disse...

Concordo! Um friozinho de vez em quando é uma delicia, combina com muita coisa.

minicontosperversos disse...

será que estamos falando da mesma coisa?