quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Ódio, o irmão bastardo do amor

Esse conto sensacional é da Maria. Ela deu de presente pro MCP porque, como ela, o Blog da Maria é elegante, e falar dessas coisas de violência perversa não combina. A escrita dela é elegante e bem pensada. Porque a Maria pensa muito e pensa bem. De repente a atração dela pelo MCP está justamente no fato de publicarmos aquilo que muitas vezes é impensável. Aproveitem, porque [o que escreve] a Maria dá prazer.

Dizem que matar alguém a facadas é uma empreitada difícil para o assassino. É necessário força física e estômago resistente. Experimente enfiar uma faca num pedaço de carne comprado no supermercado. Não é o mesmo que enfiá-la num bloco de isopor. Some a isto tendões e ossos que estarão no caminho a cada vez que você perfurar o corpo da pessoa. Não é nem o mesmo do que enfiá-la no pedaço de carne. A vítima sangra, e o sangue inunda o local de cheiro e calor, tornando ainda mais difícil a operação. Dão sorte aqueles que logo nas primeiras estocadas conseguem matar a vítima. Não são raros os cadáveres neste tipo de homicídio virem com 17, 20, 26 perfurações. Geralmente a morte se dá na sétima ou oitava, mas aí o sujeito já está tomado pelo desespero e continua perfurando até dissipar todo o ódio. Sim, matar alguém a facadas é um ato de ódio. Foram uns policiais da homicídios que me contaram essas histórias de gente que morreu e matou com facadas. São histórias impressionantes. E eu até comecei a entender aquele pessoal que diz que o contrário do amor não é o ódio.

34 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Que brutalidade sanguínea. \o/

Ser bastardo é calar fundo no profundo poço, acalentado somente pela respiração.

Dói, doido!

bjos ú&e

Sentimental ♥ disse...

aqui em brasília teve uma caso horrível assim, não tinha menos de 20 facadas em cada vítima, é muita raiva né?

[e não, eu não me imagino esfaqueando nem um pedaço de carne, muito menos uma pessoa]

July disse...

hahahaha.. funesto, sombrio, nefasto e sinistro!
E digo mais, fúnebre, medonho, soturno e lúgubre! Mas que deve ser catártico, deve!! :P
Adorei! rsrs

Vulgo Dudu disse...

Ainda assim, Maria é elegante.

Abs!

Layana. disse...

uaaal, deu até medo.
ISAUDUASDIUAS..

Wuotam disse...

Fez-me lembrar do maravilhoso Crônica De Uma Morte Anunciada, do Garcia Marquez.

Abração à Maria, contista de primeira. Parabéns ao MCP pelo espaço sempre tão bom de visitar.

Salut prôceis...

Luciano Pfeifer disse...

Teve um cara no RS que ,certa vez, além de matar a então namorada, com golpes de facada, a esquartejou de maneira requintada (o cara era açougueiro) e depois desovou as partes ao longo de quase 20km de uma rodovia estadual.
Mórbido...

Vampira Dea disse...

Alguém aí falou em sangue?

Vampira Dea disse...

Isso de faca... Sabe, eu sempre tenho um sonho recorrente... De que faço alguém de Peneira...

Anônimo disse...

Bom. Muito bom. Mas não se engane. As pessoas elegantes (também) têm seu lado B e, em sendo elegantes, usualmente criam situações delituosas pra lá de requintadas. Espero que a Maria extravase o seu lado cruel apenas através das suas palavras e idéias.

Sweet Toxicant disse...

Muito bem escrito!

Tanto que revirou meu estômago... Definitivamente não tenho talento para isso. rs

Layana. disse...

IASUDIASUIUDASIHDHAS, se eu te contar que tenho só 1,65 você guarda segredo? Rs. Eu sou baixinha!

Extase disse...

OLha é preferivel fazer a pessoa se matar ou dar um veneno para ela no leitinho. Vou escrever um conto em que uma pessoa faz outra se matar por medo se ser assassinada e te mostro depois.... mas da é mais charmoso do que ver uma pessoa agonizando durante o efeito veneno, nossa que comentarimais sadico.

J i l s disse...

realmente o contrário do amor, não é o ódio, mas a indiferença. Isso de acordo com uma palestra assistida na época da catequese... hehe...

Mas o que importa é que falta estudo pra quem quer matar, falta um pouco do q sobra nos psicopatas de fazer estratégias para matar alguém...
bom tudo depende do ponto de vista né... hehe

nin@ disse...

isso só vem confirmar q cada um de nós tem um estripador escondido dentro do nosso inconsciente, hahaha
Bj
BFS

nin@ disse...

ah e diz a lenda q hj é um dia muito auspicioso para se praticar maldades em série. Lembram das torres gÊmeas????

Altavolt disse...

Puerra, Gustavão! Esse lado trash da Maria também é muito intenso! Queria pedir ao amigo que passasse lá no altavolt, pois deixei uma tarefinha lá em seu nome, ok? Grande abraço!

F. Reoli disse...

Porra, fez eu me lembrar do saudoso "Notícias Populares"...rs
Foda que é uma puta realidade e dizem que todos teremos pelo menos um contato mais estreito com ele um dia, do amor já não se sabe...rs
Amigão, escrevi um texto sobre a lei anti-fumo em sampa pra revista eletrônica de dois brothers lá do sul. Se puder passa lá pra ler e discorrer sobre o tema.
http://linguapop.wordpress.com/2009/09/10/opiniao/
Abração

maria disse...

gustavo, a explicação sobre o conto e sobre a minha pessoa me fez molhar a calcinha. obrigada, querido, você também me dá muito prazer.

única & exclusiva e sentimental, brutalidade total. é triste.

july, completamente. e guarde minhas confissões!

vulgo dudu, tks! essa tua foto aí, Psicose, tudo a ver.

layana, ah, fica com medo não! ;)

wuotam/luciano, 1) obrigada; 2) não conheço esse conto; 3)nestes crimes de execução brutal eu ficava lendo o AEC e pensando no que se passava pela cabeça do homicida. Só nestes.

sim, eu li TODOS os autos de exame cadavérico (AEC's), uns 200, que passaram pela minha mão, mesmo quando não era necessário. sou fascinada por med. legal.

vampira, é? meus sonhos tem mais a ver com fazer alguém de bobo, hehehe

anônimo, desculpe, eu não falo com estranhos.

sweet toxicant, eu só tenho talento pra matar baratas. e essa história aí não saiu da minha cabeça. felizmente. ou infelizmente.

extase, venenos não rendem AEC's interessantes.

jils, fugindo do clichê, tenho minhas dúvidas a respeito da indiferença, viu?

nin@, tenho uma teoria de que se homicídio não fosse nem crime nem imoral não tinha um vivo neste mundo.

altavolt, tenho que manter o padrão, certo?

f. reoli, nós, ilustres estagiários da primeira promotoria criminal ouvíamos embasbacados as histórias contadas por RR, o policial-lenda da XXXª DP. nunca vi ninguém investigar homicídios com tanta paixão. graças a ele e seu trabalho, que passava longe de CSI, muitos júris foram ganhos. melhor que jornal, era a própria notícia!

minicontosperversos disse...

de manhãzinha ligamos o micro pra dar uma lida nos deliciosos coments das nossas leitoras e leitores, eis que vemos que a maria fez todo o trabalho... alívio.

nada mais justo, o conto é dela; então vamos responder só os comentários dirigidos diretamente ao blogueiro aqui, ok?

wuotam - tanto os contos (nossos), como os escritores que contribuem como os leitores, são extremamente selecionados; ficamos satisfeitos que curta essa nossa sina

anônimo - ela é cruel também nos atos

layana - então vc sabe escolher muito bem os ângulos

êxtase - esse comentário de leitinho não tem duplo sentido?

alta - vai que nossa vocação está em despertar o lado trash das pessoas, hein?

a tarefa foi cumprida lá, amigão!

fábio - vamos lá ler, mas nos absteremos de opinar; nossa opinião é contraditória a nossa incessante luta pela liberdade de ação e expressão

maria - ah, essa é nossa missão, bela; a culpa tem muito a ver com o MiniConto Perverso "a maldição de uma linhagem", que agora só está disponível no livro

minicontosperversos disse...

Momento camelô:

Ah, sim, e quem quiser o livro, basta clicar aqui

iaiá disse...

entendi perfeitamente. mas que às vezes dá vontade de matar, dá.

Luna Sanchez disse...

O contrário do amor é a indiferença, isso é sabido.

Matar, ainda mais desse jeito, com brutalidade (como se houvesse como matar com suavidade...) é atestado de insanidade, de doença.

Nada mais.

ℓυηα

Altavolt disse...

Gustavão, o terrível molhador de calcinhas! Valeu, a tarefa foi muito bem feita. Seus cartões vermelhos estão bem aplicados. Eu não diria que vc só tem vocação para despertar o lado trash das pessoas (principalmente do sexo feminino), mas também outros lados bem mais interessantes. Grande talento! Abraço!

[ rod ] ® disse...

E eu aprendi, estudando psicologia, que o sentimento mais achegado ao ser humano não é o amor... como tantos falam... é o ódio.

Este sim... se bem cuidado, dá frutos infrutíferos.

Abs meu caro,








dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Extase disse...

juro que o comentario do leitinho nao tinha duplo sentido, vou te dizer que a mardade não na boca de quem fala mas nos ouvidos do ouvinte....no caso nos zoios do leitor...

minicontosperversos disse...

iaiá - uma dica? toda vez que der vontade de matar, foda (literalmente falando ou não); como advogada você deve sabwer que sai bem mais barato; no caso de fazer não literalmente, melhor não deixar pistas

luna - tem sim como matar com suavidade; e tem um jeito pior, mas não menos cruel, de matar beeeeem aos poucos

do tipo "vou causar um câncer nessa pessoa"

alta - quem dera, amigo... se a maria passar por esta página aqui de novo, peço pra ela te explicar o tal ato de molhar a calcinha

rod - ódio que não deixa de ser sensacional e necessário; quantas batalhas deixaríanmos de travar não fosse o ódio; não teríamos, por exemplo, aviôes supersônicos

tá, foi um exemplo meio exagerado

êxtase - mas deixar de pensar no duiplo sentido num ambiente torpe como este dos MCPs é quase impossível

Anônimo disse...

Quando se aproximou dos 40 anos de desilusões amorosas, todas vividas com muito prazer, até que as suas realidades fossem chutadas ao chão, decidiu tornar-se uma mulher forte. Literalmente forte, literária era coisa de otária, sussurravam-lhe as frustrações... Começou a treinar antes do almoço, servido para convidados não vegetarianos...

Cassiana disse...

hmm, cheiro e calor numa cena de morte deixou isso mais passional do que devia rss
interessante!
gostei daqui!
abraço!!

minicontosperversos disse...

anônimo - no segundo que lemos o "literária era coisa de otária" descobrimos quem vc era

que tipo de carne foi servida no almoço?

cassiana - com efeito, tudo com cheiro e calor fica mais passional

volte sempre, comente sempre

Mayara Severiano disse...

Me entrigou a ultima frase.Por isso,amei!

minicontosperversos disse...

mayara - a luna, ali em cima, respondeu por nós; confessamos que nos intrugou também a frase no contexto; mas tem a ver com a compulsão pela peneteração da faca, gatilho disparado pelo ódio; já reparou como o odio anda lado-a-lado com o amor?

Maria disse...

vim pegar esse link pra mandar pro rod... pensei: do jeito que ando escrevendo, acho que vou publicar esses contos meus que estão aqui lá em casa mesmo.

Fernando Ramos disse...

Por isso os profissionais usam um punhal vazado: o sangue jorra com uma boa estocada.