sábado, 11 de setembro de 2010

A primeira vítima de Veralice

Fechando esta conturbada III Semana da Contribuição, esta delícia de conto (nem tão MCP porque é longo, é conto e ponto!) dele e dele.

- Estamos entendidos?
- E se eu não quiser? Digo, não tenho nada a perder... Se vai me matar de qualquer jeito, não preciso cooperar.
- Depende. Se você fizer tudo direitinho, te deixo ir.
- Como assim, tudo direitinho?
- Contar tudo com franqueza.
- Entendi... Mas como sei que cumprirá com sua parte do trato?
- Você não sabe. E não sei se notou, mas não tem escolha.
- ...
- ...
- Tá. Mas e tem que ser nessa situação? Pelado? Tá frio aqui...
- Isso é pra denotar a pequeneza dos homens! O mundo machista e subserviente ao falo, destituído de ereção! E então, o que vai ser?
- Tá bem... Pra onde olho? Ali?

Meu nome é... Preciso dizer meu nome verdadeiro? Não? Tá. Meu nome é Tony e eu sou um cafajeste. Acho que essa vai ser a primeira e única vez que vão ver um homem – verdadeiramente – assumir isto. Nunca assumimos defeitos que julgamos ser uma falta da sociedade. Culpamos nossa forma dissimulada e canalha com as mulheres por causa daquela ladainha histórica da poligamia, instintos masculinos e o caralho. Uma grandessíssima balela, maior até do que aquela “Poxa, sabia que sonhei com você?”, que entoamos quando queremos foder uma de vocês. Física e psicologicamente.

Eu dizia que sou um cafajeste porque tudo que pude fazer na vida pra conquistar o sexo oposto – e entenda sexo como gênero e órgão – eu fiz. E me tire dessa vala comum, dos tipos de cafajestes que as mulheres gostam hoje em dia. Sou cafajeste à moda antiga, que se traveste de personagens que não sou pra conseguir uma trepada. Sou daqueles que sente um frio na barriga só em pensar no flerte, no que fazer em caso de receber uma resposta negativa. Ah, quando isso acontece, meus ânimos se acirram e toda minha criatividade trabalha em prol da sedução, da vigarice. Lembro que em muitas vezes já havia perdido o encanto e até o tesão na mulher, mas isso não importava mais. O que eu queria era o deleite de derrotar o adversário, no caso, a adversária. E por que isso, se a vontade do prazer, de foder é efêmera? Porque a beleza nos leva a fazer isso: o egoísmo; o egocentrismo tem beleza! Vê-las seduzidas e apaixonadas é o grande barato! E isso, ah, isso vale a pena em troca da sensação enclausurante quando uma acaba se magoando, o que é frequente. Por algum tempo até achei que tudo isso era uma grande carência – a muleta da modernidade.

Mas quando me toquei que igual a todo mundo, eu falava que era carente 24 horas pra me livrar de algum rancor ou ressentimento, achei um grande clichê e resolvi assumir que sim, eu gostava mesmo era de sacanear o mulherio.

De qualquer forma, não consigo crer que a mulherada não saiba onde pisa. Porra, só vai ser seduzido quem se deixa seduzir. Por exemplo: a essência do meu cinismo é a aquela do não custa nada tentar. Não vejo o mínimo trabalho em ter de demonstrar um falso afeto, como palavras floreadas, pseudoprantos (armas que uso com frequência), dizer falsos Eu te amo!, Pensei em você o fim de semana todo!, chorar balbuciando, aparecer de supetão na casa dela com um buquê, escrever um poema brega etc. Se eu percebo que isso é preciso pra conseguir meu troféu, a calcinha se desembaraçando pelas pernas e a primeira visão da xoxota, nem hesito!

Daí, você que vai me assistir, vai se perguntar se é possível confiar em algum homem, mas já te digo que essa possibilidade é ínfima, só conheci dois homens leais e fieis a suas mulheres em toda a minha vida. Ou seja, menos que zero vírgula um por cento de nós. A solução? Mantenha seu score alto, traia ante de ser traída, não perca as oportunidades de ouro, como aquele bonitão que te deixa molhada só em pensar e por aí vai... Puta que pariu, sabe de uma coisa? Vou deixar registrado aqui que, falar disso, confessar tudo isso, foi libertador! Porra, tô até me sentindo mais leve, posso morrer em paz! Então vai, Veralice, atire logo! Já tem o que queria...e EI, ME LARGUEM, ME SOLTEM! PRA QUÊ É ISSO? O QUE É ISSO? ME SOLTEM!

E ela assistiu à vida de Tony esvair-se lenta e hemorragicamente. De um lado do chão, ensanguentada, uma tesoura de jardinagem. Contígua a ela, seu pênis separado do corpo.

32 comentários:

Fernando Ramos disse...

Putz, enttego atrasado e ainda esqueço do principal do conto: ser mini. Desculpe. Abraço.

Mari - é como quero ser chamada. disse...

O Melhor!!!

Anônimo disse...

semana mista
bom
mas prefiro a sua

Luna Sanchez disse...

Verdade nua, crua e extirpada, não recomendada para quem tem coração sensível.

Gostei e não foi pouco.

ℓυηα

Cassiana disse...

adorei o 'mini' conto!!!!

engraçado que quando um homem assume tudo isso, que algumas mulheres mais esclarecidas já sabem, parece que ele perde um pouco a graça...
é bonitinho ver em quanto eles se desdobram ['palavras floreadas, pseudoprantos, poemas bregas'!?!?!]pras meninas falarem aquilo que elas já tinham planejado falar desde o início..
cada vez mais penso que o bom mesmo é o jogo e espera.

enfim.. acho que pelo estilo da morte a veralice não pensa assim..

beijo no fernando e gustavo
não necessariamente nessa ordem
;)

Anônimo disse...

Grandecíssima balela nada. Somos assim mesmo! Tá no DNA.

Carina Mota disse...

"Não sei porque", mas chorei com esse conto.
...

David disse...

Muito legal este mini... ...eu devo ser um daqueles dois homens fieis... ...ou será que estou mentindo? ...só eu posso saber isso !!! Que pena...

minicontosperversos disse...

Veralice - Putaqueopariu, Veralice! Por que foi fazer isso! E com tezoura!

Mulherzinhas disse...

Já pensou se todas pensassem e agissem como Veralice...Nossa!

Nanda disse...

Eu li e por vezes me identifiquei com a Veralice, mesmo tendo deixar de acreditar nos homens [mentira deslavada]... mas me falta essa coragem que ela teve no final.
A minha briga é sempre por matá-lo aqui dentro de mim...

E dizer que eu adoro o Fernando e os textos dele já virou clichê, mas sempre gostoso repetir!

E ainda de quebra conheci os outros contos daqui e curti muito!

Meus beijos!

minicontosperversos disse...

Perceberam que o conto da Ritinha e o da Veralice têm temáticas parecidas, né? Não é machismo não!

Fernandão - o comentário de não ser mini foi retórico; o conto está sensacional

Mari - anda com instintos "sadistas", bela?

Anônima (espero) - a minha o que?

Luna - aqui no Paraná você seria leitora assídua da Tribuna

Cassiana - muitas vezes o jogo da espera e da conquista é o mais divertido; depois, lá dentrão, é tudo meio parecido... mas há exceções, sempre há; e há relações que superam cosmicamente tudo isso de conquista e carne

essas são pra toda a vida

Anônimo - suas as nossas palavras

Carina - será que é porque é uma romântica?

David - primo: não fala uma coisa dessas que em questão de minutos tem uma fila de mulher na porta da sua casa (todas vestidas de noiva)

Mulherzinhas - ia baixar bastante o preço do cachorro quente

Nanda - conhecemos esses olhos... mas, olha, matar dentro é mais difícil viu? volte sempre

Única e Exclusiva disse...

Fernandão surpreende sempre. A Veralice é incomum. Destaco que apesar da tortura ela mantem a "ferramenta" [dele] intacta.

Assim como existe cafajeste cueca, existe também a versão calcinha. [comoeusei?!]

beijos ú&e =****

Vingadora Eficiente disse...

ah, foi tesoura pq é um objeto tipicamente feminino, ainda que no caso seja a do jardim. mulher daquela categoria, vingativazinha e magoada não sabe usar machado. nem picareta. nem picador de gelo [só as beeeeem mulheres usam picador de gelo]. mulherzinha que era só podia ter usado uma tesoura essa tal veralicia ou sei lá o nome

Milady disse...

É quase uma Veralice Bobbit... Um tanto mais sofisticada, claro! Simpática moça... Cheguei a pensar em algumas conversas que teria com ela enquanto lia...

minicontosperversos disse...

Segura que estamos atacados.

Fernandão - ficou uma dúvida: no final a Veralice chamou a turma pra desenlinguiçar o cafa? Ele fala "ME SOLTEM"

Ú&E - como assim? colocou num vidro com formol?

e pra versão calcinha-cafa, os africamos mussulmanos têm uma solução prática

Vingadora - ah, e tem o martelo de bater carne também

e dá pra "lixar" o negócio até gastar com esponja de lavar louça, com o lado áspero, claro

Milady - a Lorena Bobbit também nos veio (argh) à lembrança; que conversas teria você com a veralice?

Moska de Bar disse...

Essa é a mina. Aliás, acho que a Veralice tem um pouco de várias mulheres dentro de sí. Pra quem gosta de correr risco, essa é a gata!

Fernando Ramos disse...

Mari: o quê, o cafa Tony, a vingança ou o conto? =)

Anônimo: replico o Gustavão: a sua o quê? Porque o falo também assume substantivos femininos como a sua...deixa pra lá.

Luna: lisonjeio é pouco, linda. E como verá nos comentários abaixo, realmente não é recomendado aos romãnticos ou românticas.

Cassiana: linda, matou a pau. O jogo é o melhor, depois disso é tudo meio igual, não.

E tem razão em outra coisa: sim, elas também já sabem tudo que será dito.

A pergunta é, com a quantidade de informação que há hoje em dia, como há aquelas que ainda não sabem o que eles falarão?

Anônimo: ah, então você é um cafajeste que não assume a cafajestada, que põe culpa no DNA? Liberte-se! Não tenha medo de Veralice, fale ao mundo: sou canalha porque sou um filho da puta mesmo e gosto de sê-lo, gosto quando as mulheres dizem que sou um cachorro. Tente, é libertador, pergunte ao Gustavão.

Carina: Soube que Veralice aceitava currículos. ;)

David: você provavelmente está mentindo. Segundo Tony, ele só conheceu dois. E ele não se chama David. A não ser que seja um pseudônimo também.

Gustavão: Veralice é demagoga quando fala de destituir a ereção do falo. Ela usa tesoura de jardinagem devido ao seu tamanho.

E sim, havia mais mulheres com ela, suas capangas. Ou acha que uma mulher só seria capaz de cortar o pinto de um homem com uma tesoura de jardinagem? Matar, tranquilamente. Cortar o pau, não. Cortar o pau é mais grave. Ah, e tudo indica que Milady Winter, Vingadora Eficiente e Cari são suas contratadas.

Luanna (Mulherzinhas): com certeza elas tornariam-se ainda mais canalhas e surgiria a versão masculina dele. O que não demora a acontecer. ;)

Nanda: linda, obrigado pelos lisonjeios. Tua opinião conta muito! E matá-los em si talvez seja a única forma de acabar com os vigaristas. Cortar o pinto fora não adiantará, os deixará mas revoltados, unir-seaõ contra Veralice e daí imagina o resto...

Lila: sem dúvida há a versão feminina de Tony, o que já tem se manifestado nos comentários. Quem sabe Veralice foi vítima de um bom cafa? Um que fez o serviço direitinho? Dizem boatos que ela até se reconciliaria com ele, caso a quisesse de volta.

A questão é: precisará surgir a versão masculina de Veralice pra elas deporem como fez Tony?

Vingadora Eficiente: como disse à Carina, parce que Veralice aceita currículos. Mas não tem o intuito de desistir da tesoura de jardinagem, não...

Paula (Milady Winter): conte pra nós, linda. Começamos a achar que o bando de Veralice é maior do que pensamos.

Moskadebar: meu querido, eu diria que Veralice tem muito de várias mulheres.

bete disse...

é autobiográfico?

Simplesmente... Chiara disse...

Fernando Querido,

Intensidade delineada em poucas palavras, segredo e multiplicação.
Parabéns por expressar aqui tantas e poucas verdades, com tanta graça.

Abraços e Beijos Saudosos.

Simplesmente... Chiara disse...

Adorei a pergunta da Bete_Devis:

É autobiográfico???

#RisadinhasDiabolicas

Patrícia disse...

Excelente conto,muito bem escrito.
Mas eu conheço um homem fiel.
E fingimos acreditar em suas verdades,meninos!Nas frases decoradas e discursos repetitivos.Mas gostamos do cafajeste.
O melhor da história é que nós mulheres reconhecemos um.Mas vcs homens,nem de longe percebem a nossa capacidade!
De qualquer maneira,o homem é cafajeste porque assim o permitimos.Muito,muito melhor...
bjsss

Vingadora Eficiente disse...

querido, eu não participaria dessa ventura da colega Veralice, apesar de achar divertida essa sujeira toda que ela fez com a tesoura. e realmente eu não tinha entendido o porquê da tesoura ser a de jardim [não tão feminina], mas agora você esclareceu -o tamanho do falo. isso tambééém já me explica outra coisa: o tamanho da necessidade de vingança. estou certa de que os mais dotados fazem maior estrago, psicologicamente eu quero dizer. ainda acho a tesoura um indício do lado excessivamente feminino da moça em questão e acho também que ela guarda, ainda, muitos ressentimentos com o sexo oposto. mas acredito que uma colega como a Veralice, se não tomar gosto pelo cheiro do sangue é claro, logo percebe que a vingança real não se dá no plano físico.

Pâmela disse...

Não conseguiria pensar em um final mais feminista...

vinícius disse...

mandem isso pro muleburra.com. quero ver se vai dar polêmica ou catarse.

Fernando Ramos disse...

Vingadora eficiente: quem sabe Veralice tenha feito regressão e descoberto que foi mal tratada pelo mesmo cafajeste em outra vidas? Ou seja, não seria uma vendeta do plano físico e material, viria de outras encarnações. ;)

Pâmela: Um final feminino, concordo. Feminista, há controvérsias.

Vinicius: talvez polêmica catarse. Basta receber um convite que encaminho.

Carla Ceres disse...

Seria legal se a Veralice fosse uma assassina em série, mas aí ela precisaria ter sido enganada por uma fila de cafajestes (muita ingenuidade). Poderia também tomar as dores das amigas ou andar por aí, dando sopa, a fim de atrair e exterminar os pobres canalhas. Essa Veralice vai longe. Abraço!

minicontosperversos disse...

moska - sim, tem um pouco de Aileen Wuornos, de Erzsébet Báthory, Marie Noe e, principalmente, Lorena Bobbit

fernando - ok, então passaremos longe de Milady Winter, Vingadora Eficiente e Cari

bete / chiara - tadinho do fernando

patrícia - sim, são vocês que permitem; e esse fiel, colocou num pedestal?

vingadora eficiente - MEDO de você

pâmela - nem se ela vestisse um consolo e queimasse a rosca do rapaz?

vinícius - mandamos, elas não se manifestaram; são burras

carla - a patrícia ali em cima deu a solução

Juliana Santos disse...

Eu gostei a valer :)

vinícius disse...

talvez eu mesmo sugira pra elas, então.

Vampira Dea disse...

Porra Veralice! Não se desperdiça um cafajeste como esse tão perfeito. Há quem aprecie e desses que mandam flores e poemas bregas então...O que acontece é que nós estamos superando eles a ponto de fazer com que acreditem que nós acreditamos neles e assim a diversão é mútua.Para por aí viu.

André Salviano disse...

Só se deixa seduzir quem quer ser seduzido, uma meia-verdade num texto cheio de meias-verdades, porque cafajeste que se preze nunca conta tudo.

Abraços do Confrade e Irmão,
@paraquenomes