terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Dito pelo não dito

Sempre ouvi que era mal de conta. Minha mãe professora me alfabetizou antes da primeira série, só que na hora de aprender matemática a guriazinha aqui travava e escutava "êta, como essa menina é ruim de conta!" E fiquei presa no dito.

Está cheio de gente por aí presa em ditos, servientes do desejo do outro. Ouvi repetidas vezes mamãe falar "parece que você teima em fazer exatamente o contrário do que eu digo, só quero o seu bem." Ela só queria o meu bem. Mas fazer o contrário foi o que me manteve viva, mesmo sabendo que na maioria das vezes o contrário é a mesma coisa. É só o outro lado do espelho. A reação foi o caminho encontrado para me libertar do dito, o que me poupou de ser uma alienada. De resto, permaneci ruim de conta, mas boa de cama.

:: 13.05.2003 :: História contada por minha amiga Cláudia

8 comentários:

minicontosperversos disse...

Feliz aniversário, amiga querida. E continue fazendo o contrário. De alguma forma, só conseguimos conviver bem com as pessoas que fazem diferente.

Anônimo disse...

clap, clap....

Anônimo disse...

tá de mal comigo essa tal URL!!!
não me deixa tornar pública minha admiração clap...
ass.: fantalaranja anônima

Anônimo instrutor disse...

Fantalaranja: é só colocar o nome sem o URL, tá vendo?

Dominique disse...

Toda vida achei q eu tivesse q fazer igual. Fui ensinada a fazer igual...Aos 30 anos fui enxergando q fazer diferente me tornava uma mulher tão mais interessante!
Como diz o ditado :Antes tarde do que nunca!

E tenho dito.

(Hoje deixo um beijo especial pro Gus. Acordei inpiradíssima.. haha)

A Bruxa disse...

admiro mulheres inteligentemente diferentes! são as que escrevem torto, mas todos acham que estão certas! são as que tem letras horríveis, e chamam a isso de estilo. tem um gosto diferente de se vestir e que se chama alternativo. E, sem dúvida, o mundo é bem melhor com elas!!!

surrealismodoacaso disse...

A cada dia gosto cada vez mais desse pequeno repertório de causos maliciosos...

minicontosperversos disse...

Sendo diferentes somos mais parecidos do que se possa imaginar.

Beijocas!