quinta-feira, 14 de agosto de 2008

A longa jornada (de aprendizado) para o Rock In Rio - parte 2

Quem conhece mercado do interior sabe a bagunça que é. Pilhas de caixas de entrega abarrotadas com compras do mês pra todo lado, a molecada ranhenta zanzando com tubinhos de suco de plástico que imitam carros, na porta uma máquina de sorvete italiano (aquela espuminha gelada meio sem gosto), tudo uma delícia. E eu angariando fundos para a viagem ao Rock In Rio.

Alguns dos momentos mais divertidos que eu tive era quando meu tio Gatão (o caçula do padrinho) me levava junto para fazer entrega das compras nos sítios de kombi. De tempo em tempo parávamos em algum boteco para "calibrar" (na época eu ficava ainda no guaraná) e, na volta, a kombi vinha carregada de manga, jaca, limão galego, carambola etc. que ele ganhava pra distribuir para a familiagem.

Antes de chegar ao mercado o Gatão dava uma parada na zona para conferir o material. As moças se divertiam comigo porque me achavam inocente, isso porque não liam meus pensamentos quando me davam umas pegadas pra provocar: "Olha que lindão!"

Quando acabava o expediente estafante de fazer pacotes e carregar caixas, às vezes o primo Juninho (do outro lado da família) me levava para ver umas pernocas na cidade. Teve um dia em que ele parou num posto de gasolina, foi direto num freezer horizontal e tirou uma cerveja peluda. Pra quem não sabe, é quando a garrafa fica branca de gelo ao redor. "Hoje você aprende a tomar cerveja", provocou.

Não precisa ser muito entendido para saber que uma garrafa naquele estado congela ao abrir. Mas o Juninho tinha um truque de punhetar o gargalo para tirar o gelo e cuidadosamente virar a garrafa de cabeça pra baixo antes de abrir. E só segurar a garrafa pelo gargalo (nunca pelo corpo) ao servir. Eu nunca tinha gostado da bebida amarga, mas a visão daquele copo amarelo brilhante e a sensação do líquido gelado descendo pela garganta (Lins é uma cidade muito quente e abafada) mudaram alguma coisa dentro de mim para sempre.

:: 06.08.2008 ::

20 comentários:

louise disse...

Putz, mas isso não é uma longa jornada, é uma saga tragicômica!!

Esse "tio Gatão" devia ser o rei de Lins, hein? hahahaha

*eu assisti o Rock in Rio numa TV podre, na não menos podre praia de leste. Isso é trágico. HMPF.

Jean Rocha disse...

Tio Gatão, primo Juninho, Kombi, zona, cerveja peluda, moleques ranhentos e sucos de anilina em carrinhos de plástico... Parece filme brasileiro dos anos 70/80...
Dá até pra imaginar a trilha sonora dessa fase interiorana pré Rock In Rio, mas prefiro não comentar hehehe...

damaria disse...

Curiosa para saber se afinal você chegou ao Rock in Rio!

Flah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camilla disse...

Cara, dá até pra imaginar a situação haha

E é, também tô curiosa pra saber se você foi ou não ao Rock in Rio...

Beijos

Leandro BLuz disse...

E aí, blz ??

Cara, descobri teu blog e adorei !!! Excelentes textos !!!

Virei mais vezes te visitar !!!

Abraço

iara disse...

já eu quero saber..o tio era gatão mesmo? rs
e te levou pro bom caminho né??? rs
puteiro, cerveja...
tô adorando a saga!
bjs

Toninho Moura disse...

Vai nessa!

Em tempo, o quê você faria com a gatinha no Túnel do Amor?
Veja em "Ready for love", último capítulo do "Fragmentos de um Romance".
Braços!

minicontosperversos disse...

louise - o que mandava mesmo era nosso padrinho; resquícios gravados no DNA de nossa origem no sul da Sicília

jean - onde a gente ia levávamos nossas fitinhas K7 (sabe o que é isso né?) carregadas de AC/DC, Led Zeppelin, Iron Maiden, Deep Purple, Black Sabbath etc.

maria - sabia que seu nome está 100% na moda? das menininhas que nasceram da família e amigos nos últimos tempos, todas são marias (clara, augusta, luísa)

mas... como dissemos ontem, aguardem cenas dos próximos capítulos (leia-se a internet voltar a dar sinal de vida lá em casa, porque precisamos publicar uma imagem e aqui não está rolando)

flavinha - o tio gatão ganhou o apelido das moças quando tinha uns 13 anos e começou a freqüentar sabe aonde né? sabe onde ele começou a freqüentar aos 13, né?

mas se quer formar uma imagem dele, é só lembrar daquele personagem Coalhada, do chico anysio. ele é a lata do Coalhada

camilla - a senhorita é ansiosa assim para tudo?

leandro - valeu! assim que a gente conseguir visitar outros blogs, vamos lá ver!

iara - adivinha qual dos dois levou a gente pra ser "inaugurado" bem ao estilo "puteiro em joão pessoa"? e adivinha quem patrocinou?

toninho - nós não faríamos com a gatinha no túnel do amor. faríamos NO túnel do amor DA gatinha

louise disse...

tio Gatão era vesgo?
hahahaaha, que eu me lembro, o Coalhada era vesgo, não?
Eu já estava imaginando que fosse como um dos "Gatões" da série de TV - Jean, não é da sua época, mas teve refilmagem, viu? hehehe

minicontosperversos disse...

como o sobrinho aqui, fica vesgo quando dobra o cabo da boa esperança na cachaça

Jean Rocha disse...

Lembro vagamente do Coalhada... e eu correndo pro colo da minha mãe.
Fita K7 é aquela coisa que eu desmontava e ficava brincando, arrastando pelo pátio... ainda me lembro do meu pai: "se for a do Belchior, tu vai ver, guri!"

iara disse...

GUSTAVÂO

o túnel do amor da gatinha foi ootema!!! kkkkkkkkkkkkkk

mas o coalhada não era feio ???

e JEAN ROCHA

brincando de desmostar a fita k& do belchior. (rsss merece vai) me senti uma tia....mas blz..

damaria disse...

Nenhuma "Amélia", eu garanto!

Flah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
minicontosperversos disse...

jean - veja como são os bons meninos; enquando você arrastava a fita pelo chão minha turma tentava fazer chá

iara - é, é o caminho do trenzinho

maria - quer dizer que vc é amélia?

flavinha - o coalhada vc vê no google ou no youtube; e a inauguração é história pra mais uma novela, e aconteceu exatamente um ano depois

agora... ninguém tentou adivinhar, né?

damaria disse...

Tirando o fato de sim, ter vaidade, completamente!

minicontosperversos disse...

Ahhhhhhhh, quer dizer que vc quis dizer que as amélias não têm vaidade.

Mas pára! Toda mulher tem um pouco de vedete!

Lu Pizzatto disse...

Minha família é de Lins, sabia? Ainda tem parentes por lá? Temos casa lá ainda...muito calor!!!!Uma delícia!

Anônimo disse...

Este artigo foi extremamente interessante, especialmente porque eu estava à procura de ideias sobre assunto nesta quinta-feira passada.