segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Feridas

Mais um conto da Sra. Yfy, a escritora aprisionada na vida doméstica. Mas ela gosta disso.

Quando você aparece ele percebe. Meu corpo, mais uma vez chicoteado, demarca, como num mapa, domínio e posse em vermelho. Ferida que nunca cicatriza e ainda sangra. É dele o ciúme, meu o amor, sua a indiferença.

25 comentários:

Lilian Dalledone disse...

Hummm, que mistérios libidinosos esconde a Sra. Yfy sob seu comportado avental?...
Sempre bom te ler!

Mari - é como quero ser chamada. disse...

Porque não me aparece mais?
Bom, acho que te encheu o saco esse "joguinho" todo.
Mas eu não te esqueço, vou sempre aparecer por aqui e também, você aparece por lá quando quiser né?Acho que não tenho que pedir sua presença, apenas ofereço a minha sem cobrar a sua.É, é isso ai.

Beijos.

Altamir disse...

Grande Gustavão, bombando como sempre! Estamos de férias, ainda! Mas retorno na próxima semana. Abraço!

Gustavo disse...

Que estranho, aquela coisa pairando no ar, a indiferença, amor, ciume?
Aaaai, eu adoro esses "mistérios" em curtas frases.

A Senhora disse...

Sentir sozinha o ciume, o amor, a paixão... calar-se e sentir no próprio corpo a dor da indiferença.

Sra. Yfy é a imagem de muitas mulheres...

beijinhos, querido

minicontosperversos disse...

Lilian - Do jeito que vc falou, só conseguimos imaginar o avental sem nada por baixo

Mari(A) - Ah, pára de ser chorona; estávamos de férias, sem falar nuns sérios prob lemas tecnológicos

Alta - Que as férias tenham lhe rendido grandes inspirações, amigo!

Gustavo Xará - Cada um oferece o que pode oferecer; duro é quando as pessoas exigem mais (ou diferente) do que podemos dar

Mirian - A Sra. Yfy, como toda mulher, é muito complexa

Renatinha disse...

Estou enganada ou estamos falando de uma relação a três? É DELE o ciúme... SUA a indiferença...

Mariana disse...

Um abraço e ótima noite.

Mari - é como quero ser chamada. disse...

eeerrrr, eu sei que o conto não é uma autobiografia chuchu.Sou uma menina sentida mesmo e espero que seus problemas tecnológicos sejam resolvidos, pois pra mim problema tecnológico é quando o pc dá pau e isso enche o saco.

Miry Vieira é do Jeremy spoke in class today, acompanho o blog dela e me identifico muito!Dentre os milhões de comentários do meu blog acho que tem dois dela, que é quem além de você que lê as pérolas(¬¬) que escrevo.Rs*

E como deixo o melhor pro final:
Pois é (como usted havia sugerido)o rosto já foi mostrado, e agora, o que mais quer que eu mostre???Rs*

Ao invés de um beijo, te mando uma mordida!Rs*

Adrielly Soares disse...

Essa senhorita Yfy devia fazer um blog. Ou ganhar um dia de post obrigatório no blog. como uma coluna.
:)

Larissa Santiago disse...

mistério e gozo!
delícia aki!
beijos

Taynar disse...

E essas são as feridas de guerra que mais doem, e das quais, no fundo, mais nos orgulhamos!

Beijos

Jairo Souza disse...

Forte! Quanta possessão!

Jean Rocha disse...

Na verdade, é bem comum ver mulheres que deixam cortar da própria carne pra manter a boa fama e a reputação do casamento.
A Sra. Yfy gosta de esconder segredos e jogar com a imagem, ilude a platéia com um falso sofrimento, mas no fundo é mais uma das tantas pessoas que buscam prazer através da dor.

Abração!!!

P.S.: Rapaz, vê se dá uma passada lá no FocoLibre, tem post novo, depois de meses à míngua. Ficarei honrado com a tua presença!

Sweet Toxicant disse...

Até que ponto vale a pena, para manter as aparências, sofrer porque o seu verdadeiro amor é outro?

Eu acho que não vale, mas... a Sra. Yfy é muito misteriosa!

Patrícia Lage disse...

Como é que é o lance da Lei Maria da Penha?

Gustavão,
beijo procê.

minicontosperversos disse...

Renatinha - gostamos do seu jeito de pensar...

mari(A) - quer que que eu escolhamesmo?

adrielly - assim vc nos deixa com ciúme

larissa - tem que ver em curitiba!

taynar - mas... tem levado umas chicotadas?

jairo - em um dos vértices de um triângulo amoroso, geralmente no mais fraco, acreditamos que sempre existe uma forte dose de possessão; e de perigo

sweet tox - sorte de quem nunca teve que manter aparências pra manter uma relação? vc teve essa sorte?

patrícia - é como dizem, às vezes ele não sabe por que está batendo, mas ela sabe por que está apanhando

Fabiano Franz disse...

Prezado, por que não publica seus textos que são excelentes no portal de literatura colaborativa literar.org? Abraço!

Jairo Souza disse...

"em um dos vértices de um triângulo amoroso, geralmente no mais fraco, acreditamos que sempre existe uma forte dose de possessão; e de perigo"

FATO!

Como a pessoa menospresada, se sente tal qual bicho do mato defendendo sua comida! E um estranhamento feroz!

Branca disse...

Gostei demais do seu espaço...

Bem interessante seu jeito de escrever...
Nesse triângulo amoroso mais cortante que as feridas é a indiferença do outro...

Vou te linkar... posso?
bjos.

Sweet Toxicant disse...

Não, nunca precisei manter as aparências para manter uma relação, nem manter uma relação para manter as aparências. E espero nunca precisar, pois deve ser mesmo terrível! E o que eu ouço por aí é que muita gente vive assim, de aparências.
Mas quem sou eu para opinar em minha pouca idade e experiência amorosa de apenas alguns namoros que quando se complicaram demais eu simplesmente acabei, né... rs

* disse...

maravilhoso !!!

Branca disse...

Respondendo a sua pergunta... amigos virtuais em comum.

Bom findi pra vc,
bjo carinhoso.

Srta. Rosa disse...

Mmmmmmmmmm... gostei visse?

gustavão logado em outro micro disse...

Fabiano – já estamos lá. Obrigado pela dica; e parabéns pela iniciativa; assim que der vamos dar uma dissecada no literar.org

Jairo – pra falar a verdade, por mais impoliticamente correto que pareça, referimos nestar no lado de cá do vértice

Branca – claro que sim, querida; tudo que vc quiser; quais amigos em comum¿

Sweet Tox – arrebentando corações, hein¿

Lakian – maravilhosa...

Srta. Rosa – foi pra vc...