quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Surto carnavalesco

Em meados da década de 80, em Curitiba, o barato era pular carnaval em salão, nos clubes como Morguenal, Pinheiros, Thalia etc. Agora todo mundo vai pra praia e bebe até cair atrás de trio elétrico.

Nos salões era uma beleza. De alguma forma o caos da dança se organizava num círculo imaginário em que todos rodavam pelo salão no mesmo sentido, perfeito pra paquerar, pegar as moças pela cintura, entrar nos trenzinhos e encoxar pra valer.

O melhor era o do Santa Mônica, que ficava a uns 25 km do centro. Como éramos todos "dimenor", o jeito era ir de carona. Os pais do Bilo adoravam festa e eram sócios do clube. Sempre se prontificavam a colocar uns quatro ou cinco no carro. Gente boa da melhor qualidade, mas... doidos de pedra.

Naquele dia fui com três amigos (que não conheciam os pais do Bilo) na casa deles pra carona solidária. O Bilo abriu a porta e a cena que se seguiu foi chocante. O pai sentado no sofá assistindo tevê com binóculos, bradando "Não é possível. Isso é bunda de mulher, não pode ser travesti!!!". Detalhe: tinha um papagaio caminhando na cabeça dele. Ao perceber o olhar aterrorizado da rapaziada, justificou: "Quebrei meus óculos e com o binóculo consigo ver melhor. É, minha mulher não me põe chifre na cabeça. Ela põe o papagaio." Daqui a pouco aparece a mãe entornando um copo duplo de whisky e falando arrastado. Ela que ia dirigir, óbvio. O Bilo trouxe um potão de amendoim pra gente aperitivar, mas já avisou que tinha bicho dentro. "É afrodisíaco", explicou o pai, "hoje vai ter!"

Foi difícil convencer a rapaziada a entrar no carro, mas fomos. Depois teve o episódio do posto de gasolina, em que eles colocaram querosene junto com o álcool pra queimar melhor. Na entrada do salão era outro problema, pois dois estavam de peru. Usávamos as carteirinhas na base do rodízio (um entrava, saía com duas carteiras, outro entrava com a do que estava lá dentro). Aí as fantasias ajudavam — foi numa dessa que chocamos o Santa Mônica (tradicionalista) vestidos de mulher, pois a maquiagem disfarçava as fotos, mas isso é outra história.

Depois, no salão, foi uma festa só. Os pais do Bilo tinham energia de sobra pra aguentar a bandalha até o dia clarear. Gente boa assim ensina e deixa saudade.

:: 19.02.2009 ::

44 comentários:

minicontosperversos disse...

Longo, né? Mas queríamos os detalhes...

Publicamos hoje o continho de carnaval, porque sabemos que o pessoal não lê esta bagaça no fim de semana (Analytics).

A Senhora disse...

Bicho no amendoim... já ouvi falar, mas... eca, mesmo assim!

Eu fiquei imaginando a cena do papagaio na cabeça do cara de binóculo... :))

Legal!

A Senhora disse...

Ah, sim... Quanto à testeira carnavalesca, eu pretendia ficar com ela só durante janeiro, mas acabei ficando mais tempo. Eu vou mudar... Eu mudo... :)

Única e Exclusiva disse...

Porq não conta os detalhes na quarta-feira de Cinzas [pq se chama assim? ;p]... eu já estarei em ksa! ^^

Eu li muito sobre os carnavais da minha cidade e muita coisa ainda é mantida [ai ainda tenho uma noção como era]. Eu adoro o carnaval da minha cidade mas, vou pra capitá... vê o Galo da Madrugada, bora?

Bjinhos ú&e [adorei a sigla ;p]

Fatima disse...

ah, não podemos deixar de homenagear os carnavais do interior. A mulherada se empenhava em fazer as 50 fantasias de pantera, emília and others...e da-lhe achar costureira para tudo isso...tudo de menor querendo sair na foto da tribuna do outro dia...muito loló e beijo na boca, porque a meninada de interior só transavam com o namorado. Ma era bom......demais as festas!

Renatinha disse...

Dizem que Carnaval é como pizza (e sexo)... mesmo ruim, é sempre bom. Sei lá. Na verdade, só "pulei" carnaval in natura quando era criança. Quando cheguei na idade de poder escolher, marchei na direção oposta. Hoje eu me considero uma 'antifoliã'. Nestas horas é que eu gosto de estar em Curitiba, cidade maravilhosa em que, durante o Carnaval, são realizados vários eventos regados a rock. Porém... seria bem interessante mesmo ver a figurinha com o papagaio na cabeça e binóculo... o bichinho não era parte da fantasia do pai do Bilo, não é? Bem... se não se pode com eles, junte-se a eles. Boa praia e muita birita atrás do trio elétrico.

Renatinha disse...

Ah! Esqueci de dizer que ainda é possível paquerar, pegar as moças pela cintura, entrar nos trenzinhos e encoxar pra valer... mas isso você sabe melhor do que ninguém, não é mesmo MCP?

Flávia Batista disse...

cara... eu acho que em quase todo lugar já foi assim... primeiro era o tradico0nal carnaval dos bailes, eu ainda cheguei a ir em uns, bem guriazinha, vestida de havaiana... haushauhsuahsuhaushash... ai, depois de uns anos, tudo foi mudando, e a praia passou a ser o 'point' da galera... com trio eletrico, musica baiana... e assim vai rolando o carnaval...

bjao

Flávia disse...

eu totalmente detesto carnaval ( a festa em si, porque o feriado eu adoro). Se visse uma cena como essa da família Bilo, seria a prova cabal de que carnaval é o inferno. E o inferno até pode parecer atraente pra alguns, mas com gente esquisita, Ivete Sangalo e "o asa arreia" não dá.

Larissa Santiago disse...

kkkkkkkkkkk
depois do fim de semana vão perguntar o que é mesmo carnaval!!!

[essa folia dexa td mundo doidão]

bjosss

Sweet Toxicant disse...

Eu já ouvi falar desses bailes em salões, mas nunca participei não. Aliás, nunca gostei de festas de carnaval. Quando eu era criança, uma vez minha mãe tentou me vestir pra ir num desses salões que tem perto da minha casa.. eu fiz um escândalo tão grande que ela nunca mais tentou! Kkkkkk
Até hoje, e acredito que pra sempre, quando chega essa época eu entro em retiro, fico lendo, assistindo filmes, ando de bicicleta no parque (claro, com fones de ouvido). Exceto quando não viajo para Vitória-ES para a casa da minha avó, pois lá não tem festa também... só a praia sossegada.

Ah, quanto a esses bichinhos no amendoim.. quando eu era criança também, tínhamos uns vizinhos japoneses e o homem tinha um pote cheio... era nojento!!

minicontosperversos disse...

sra. mirian - nossa intenção foi, mesmo, fazer as leitoras imaginarem a cena; mas nada pior do que estar lá e ver... foi chocante

quanto à testeira... casou certinho com o carná! e não foi uma crítica...

Ú&E - ok, aceito o desafio; vamos escrever um conto de quarta-feria de cinzas, especial; que baixe a pomba-gira e venha a inspiração

galo da madrugada, é? recife/ somos mais olinda, e fora do carnaval

fátima - só transar com o namorado? no carnaval? que é isso? e a motivação da festa?

então, fica nos devendo a foto de panterinha, tá?

renaqtinha - carnaval com rock? aí ia ser bom demais, né? aí a gente perdia de uma vez o tampão da cabeça

agora... sobre esse lance de "saber melhor do que ninguém", o que a madame quis insinuar?

flávia ba - tudo culpa do chiclete com banana, da daniela mercyry, da ivete saralho, da band e do saudoso... ACM

mas se quiser se vestir de baiana de novo e mandar a foto pra gente publicar... tá desafiada

flavinha - naquele tempo eram as marchinhas e a gal costa e alceu valença: o balencê-balancê, quero dançar com vc, entra na RODA da merena pra ver...

OU

a zona vai fechar
e é na punh... que vou ter que miacabar
e vc força força força força a rola
se exagerar, vai esfolar
deixa a zona fechar

larissa - falou em carnaval e as lindas do nordeste entram em transe, né? kd nossa passagem?

sweet tox - nunca diga dessa água não beberei... hehe

da nossa parte éprainha também, mas susse de tudo

Renatinha disse...

1 - Para quem gosta de rock alternativo: Psycho Carnival - no Clube Operário durante três dias, a partir do próximo dia 21. É para bater cabeça meeeesmo.

2 - Que como hedonista mais que assumido que és, conheces bem as boas coisas da vida.

Neste Carnaval VISTA-SE! USE CAMISINHA.

Sweet Toxicant disse...

Não... eu não disse "dessa água não beberei". Eu disse que ACREDITO que não beberei, porque é minha intenção não beber.. Mas é vida é mesmo cheia de surpresas, disso eu já tive provas mais do que suficientes! hehehe

Ainda assim, prefiro um sossego nessa época. =D

maria disse...

Então, vcs podem fazer o "bloco do pai do Bilo", todos com papagaios na cabeça.

Altamir disse...

Lembrou bem, Gustavão, carnaval na década de 80 era nos salões! Putz, quanta encoxada nos trenzinhos, dando voltas! No interior de São Paulo, era pura curtição! E as marchinhas, que beleza...enchia a cara e suava a noite toda...Nada a ver com os abadás e trios elétricos de hoje em dia. Não quero ser nostálgico, mas aquilo sim era carnaval!!! Por falar nisso, apesar de outros tempos, tenha um ótimo carnaval!

Anônimo disse...

"É, minha mulher não me põe chifre na cabeça. Ela põe o papagaio." Muito boa essa.

Luciano disse...

Legal por aqui. Tua narrativa flui super na boa. Fiquei imaginando o casal de coroas. Que figuras.

Sentimental ♥ disse...

os quarentões são os melhores. ;)
bjs

Branca disse...

Atrás do trio elétrico
só não vai quem já morreu...
carnaval é bom de qualquer jeito! Vale tudo em nome da alegria (menos transar sem camisinha...).



Bom feriado pra vc...aproveita bastante!
bjos.

minicontosperversos disse...

renatinha - coisa meiga, não é bem assim

sweet tox - pode exemplificar as provas mais do que suficientes?

maria - é preciso habilidades pra aguentar um bicho chato e cagão daqueles na cabeça

alta - seja nnostálgico sim, meu amigo; naquela época era MUITO melhor; o tempo na inocência (hipócrita); éramos felizes e não sabíamos

anônimo - melhor assim ,né?

luciano - as histórias são infindáveis; logo publicamos mais; mas o problema é que os velhos estão por aí ainda, não juntos (loucos demais), mas estão; portanto, é necessário discreção

sentimental - e os quase quarentões experientes?

branca - vamos atrás não; somos espírito desencarnado

Sentimental ♥ disse...

são 'quase' melhores... ;)
beijos

Toninho Moura disse...

Melhor que pai e mãe doidos, só avós!
E carnaval tem que ter bunda!
Braços!

Anônimo disse...

Bunda e amasso!

Maria disse...

Primeira vez que passei aqui. E deixei-me ficar... gosto de contos, gosto de todas as poucas palavras necessárias.

Valeu pela visita. Voltarei para te ler.

Beijos

Única e Exclusiva disse...

Olááá

Tive que mudar meu blogue, apareça!

Bjinhos ú&e ;********

Renatinha disse...

Coisa meiga? Ahahahahahahaha.

minicontosperversos disse...

sentimental - algumas situações pra exemplificar como um "quase" pode ser bem relativo:
- eu QUASE venci aquela curva na serra quando subia a 180 km/h de moto (o cara dizendo isso na sala de espera do céu)
- eu tirei QUASE na hora de gozar (o cara na sala de espera do obstetra)
- eu QUASE consegui escapar das tropas do governo (Antônio Conselheiro, depois de canudos)

Toninho / Anônimo - bunda, amasso e pinga

Maria - e chegou bem num dia em que publicamos um contão gordo... aqui vc é mais que bem-vinda

ú&e - por que TEVE que mudar? vamos (eu e todo mundo que ler aqui) lá das uma conferida

renatinha - é

falando nisso, o Psycho Carnival que vc indicou, é de psichobilly, alternativo demais pros nossos ouvidos

Sentimental ♥ disse...

ok, vc venceu...
são tão bons qnto.... rs
beijos

Spy disse...

muito bom este conto. lendo um pouco sobre o autor, até consigo imaginá-lo vestido de mulher para entrar no Santa Mônica (aliás, saudades dos bailes de carnaval de lá). também tive uns vizinhos aBILOlados. só que o cara adorava "sair na avenida" vestido de mulher. bebia todas e depois se soltava. era a atração do carnaval da minha rua. bons tempos aqueles.

Renatinha disse...

Beeem... eu disse que era rock alternativo...

E para a nossa amiga Sentimental: existem quarentões e quarentões... mas já que vc gosta, quer levar meu ex-marido para você em troca de dois de vinte? Estou dando até troco na troca.

Taynar disse...

Ahh, o que é Carnaval?
Tô numa terra que sinônimo de Carnaval é ir pra rua. Mas só ir pra rua, sem fazer festa, sem música, sem porra nenhuma!

Cadê os pais do Bilo?

Beijos, moço

minicontosperversos disse...

sentimental - os "quase-trinta" ou ou exemplos? (cá pra nós, adoramos os exemplos

spy - nick sugestivo; más línguas dizem que o tal contista saiu vestido de mulher neste carnaval, num tal "bloco das piranhas", e que uma foto dele em tal situação vexatória está valendo uma caixa de cerveja

quem pegou baile do santa é de curitiba, e quem é de curitiba daquela época malhou o judas; confere?

renatinha - por que passar o mico pras outras leitoras? passa pra um dos leitores! quem sabe não tá aí a solução?

taynar - lança moda, bela; faz os lusitas caírem na farra! só não faz nada, aí, que a gente não faria

Sentimental ♥ disse...

hum, ok, os exemplos foram ótimos e me fizeram rir, mas me referi aos quase-enta...
bjs

Eduardo Martins disse...

Em Marechal Hermes, no subúrbio carioca, revitalizamos o carnaval com o Pinto na Perereca... esse é o nome do nosso bloco.
Com moderação

Mari - é como quero ser chamada. disse...

Diz primeiro o que você entendeu, depois prometo que explico.
(Guapo deve adorarrr isso hehehe)

Renatinha Poderosa e a 1000 disse...

Veja... eu ofereci para quem disse que gosta. Mas se houver mais alguém interessado, seja leitor, leitora, ou mesmo o próprio autor... é só falar que leva.

Além do quê, a troca sugerida era mais que justa, pois dois de 20 dariam (um pouco de) trabalho para a Renatinha aqui. [;o)

Sweet Toxicant disse...

hehehe
Exemplifico por email ou msn depois, pra não fugir do assunto principal deste post ;o)
Beijos!

Ju disse...

hahahaha... será que´não nos cruzamos num desses bailes do Santa Mônica? eu tb usava a carteirinha alheia para entrar!!!
:D
beijão, querido!

minicontosperversos disse...

sentimental - isso, quase enta; estamos aí, vc sabe, né?

eduardo - ahan... conta aí o grau da medração...

mari - um cara que gosta de comer pombos vivos e não tem cabeça

renatinha poderosa e a mil - autor? SAI PRA LÁ! dispensamos; dois de 20 vc resolve em 6 minutos, bela

sweet tox - ahhhhhh; vai matar o pessoal de curiosidade!

ju - quem sabe rolaram uns beijos, né?

Sentimental ♥ disse...

sei??? ;)
bisous

minicontosperversos disse...

ah... saiba, né...

pra boa


entendedora


meia (horinha)

pala...

Sentimental ♥ disse...

então tá, agora eu tenho certeza.
venha!!!
bisous

nin@ disse...

caramba, pra uma saudosa dos carnavais de marchinha como eu...vc me fez viajar até os salões, com mt confete e serpentina, fantasias de odalisca, havaiana, dançarina de can can... putz q saudade...era mt bom aquele tp, e ah... o casal do conto lembrou mt um casal de tios meus, totalmente pirados e q curtiam da sexta à terça até o final...ele era o vocalista da banda. Eu e minha prima eramos as primeiras a chegar e as últimas a sair do salão... tô delirando, rsssssss
abraço