quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Faz-se o que dá no pequeno espaço dentro do cabresto

Mauricinho gostava de fazer suas brincadeiras com substâncias ilícitas. Mas a mulher (segundo casamento) a quem ele era devotado tinha o hábito de colocá-lo na linha. Ela liberava no máximo uns baseadinhos, e muito de vez em quando.

O fato é que às vezes Maurício queria mais. Então numa reuniãozinha agitada deu uma escapadela com os amigos "pra pega mais cerveja" e comprou uma bucha da branca. Na festa ele mandou de leve para não dar bandeira com a esposinha.

Em casa, guardou muito bem a parada. Num sabadão, antes de ir em outra festa, resolveu dar uns tirinhos. Foi lá no mocó, procurou, procurou e... achou, ufa!!!, tinha empurrado com os dedos pro fundo mas deu pra pegar.

Então entrou no banheiro e se aproveitou do momento de privacidade. Esticou quatro riscos na tampa da privada, mandou um e entrou no banho. Aquele banhão gostoso, vaporzão... Quando saiu tudo tinha virado um pastão, inclusive o que estava no saquinho, que ele deixou meio aberto sem querer.

Pra não dar uma de elis limpou tudo e jogou na privada. Quando não a esposa, era a burrice que controlava Mauricinho. Na essência, dava tudo na mesma.

:: 12.10.2010 ::

11 comentários:

Sr.Apêndice disse...

Hahahahaha... Muito boa essa! De onde tu escuta/inventa uns casos desses? Abraço

Única e Exclusiva disse...

Comprovado, qto mais proibe-se mas, dá vontade de fazer. Então, qual a solução?

bjs
ú&e <3

Victor Hugo Domingues disse...

Ouvi dizer que "ética é o controle sem custo". Pelo visto burrice também. Aliás, acho que conheço esta figura aí. Até blog ficou abandonado. hehehehe

Abraço

Victor Hugo Domingues disse...

Para Única e Exclusica: A solução é aceitar a pessoa, se escolheu é por que gosta. Não dá para ficar com alguém pensando que pode muda-lo(a). Não dá para gostar de 3/4 de alguém, aliás, dá, mas vai ter que conviver com o quartinho (hehehe) que não gosta. Mesmo sem saber.

Casanova disse...

Como dizes o papai noel.. Ho Ho Ho.. acontece meu jovem!

Há males que vem para o bem.. vai que no quarto risco ele tivesse um enfarte.. hahahahah vai saber.

Acredito em destino, e creio que o Mauricinho também, senão não estaria na sua segunda esposinha, errando pela segunda vez na vida.

Mas, como tudo que há de bom tem algo de ruim, e tudo que há de ruim tem algo de bom.. Ao menos 1 risco deu pra ele curtir.

Cada um no seu quadrado.. já diziam os filósofos.

Abraços..

Única e Exclusiva disse...

Valeu pela resposta Victor Hugo Domingues. E eu aceito! PQ pra mim tudo tem que ser baseado na conversa. Colocar as cartas na mesa!

Bjs =*

Luciano disse...

hehehehe, esse perverso miniconto me fez lembrar de umas histórias da antiga...
abração, tchê.

Menina Misteriosa disse...

Putz... quando chega ao ponto de desaprender o preceito básico das escapulidas, é caso perdido.

MeninaMisteriosa

Duda disse...

Delícia.... de alguma forma estar presente neste seu espaço!
Adorei tudo.Beijoka.

minicontosperversos disse...

Sr. Apêndice - vida, meu amigo; basta observar (ou viver) a vida; e conversa de boteco também!

Ú&E - proibir está proibido

Vitão - talvez conheça, mas de outros botecos

e sobre o quartinho, melhopr não saber mesmo!

Casanova - seco pra descobrir quem é esse leitor filosófico

então, a lenda diz que tem cara que não consegue viver sozinho

Luciano - mas bah, conta aqui, macanudo!

Menina Misteriosa - e qual é o preceito?

Duda - aprecie sem moderação

Anônimo disse...

Um adendo, piada MUITO interna. Sabe a Juliette Lewis. Pois é. Por ela nos bons tempos neguinho guenta até chicotada.