segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Frágil

Era delicada e bonita como uma flor. Não é lugar comum, só uma comparação perfeita. Pele branquinha, cabelos compridos e luminosos e um pescoço longo, desenho perfeito. E nosso amor, ah, quando a gente se amava era intenso demais, como se além de estar dentro dela eu precisasse me fundir ao seu corpo, ver o mundo pelos seus olhos. Eu abraçava como se aquele fosse meu último refúgio na Terra.

Mas ela era pequena e delicada, mulher feita, mas muito frágil. E eu, bruto, como você pode ver. Naquele dia havia um calor a mais entre a gente. Ela se aninhou em meus braços e me amou como nunca. Ela incitou meus sentimentos mais carnais, o guerreiro e o animal eclodiram com força total. Naquela fusão desesperada, em que meus braços quase a faziam desaparecer em mim, alguma coisa aconteceu. Ela ficou lânguida, pior, ficou inerte.

Delicadamente pousei-a ao meu lado, ela não respirava. Uma mancha escura tomava conta do seu pescoço, onde antes só havia o branco mais puro. Se eu a matei, foi por amar demais.

:: 24.04.2008 ::

26 comentários:

minicontosperversos disse...

uma visão um pouco diferente dessa que está aí no noticiário. mas percebam que é de abril!

minicontosperversos disse...

podia ser MERCADO ao invés de noticiário...

maria disse...

Mercado, muito bem dito.

É de abril, mas acontece a toda hora.

E você deu sorte de publicá-lo só agora.

Anônimo disse...

que conto hein! Parabéns ...demais

iara disse...

ah!se se morre de amor....

bjs

Bem Resolvida disse...

até metade do texto eu enxergava minha noite de sábado com SN!!

sim...vc estava certo, virou namoro!!

Casal do Arrocha disse...

Hummm, amei! Interessante!
Bjs...

Adrielly Soares disse...

Amor demais tem sido o mal de gente demais.
=S

Tata disse...

Ótima!!!


Adorei o conto... bjinhosss

tia xuxu disse...

sexo selvagem + paixão louca + amor em demasia = conto interesante.

espero que este vc não tenha vivenciado de fato oO

embora seja muito bom e fácil de imaginar

hummm...rsrs

Beijoks e boa semana!

Mary West disse...

Acho que isso seria muito romantico na era medieval. Hj é monstruoso mesmo.

Poisongirl disse...

Absurdamente real.

Flávia Batista disse...

muuuuuuito legal esse conto!

;)

J i l s disse...

Frágil?!?!
eu diria suicida...

Fernando Ramos disse...

Excelente, hein, Gustavão!

Preciso copiar e colar aqui um trecho:

"E nosso amor, ah, quando a gente se amava era intenso demais, como se além de estar dentro dela eu precisasse me fundir ao seu corpo, ver o mundo pelos seus olhos."

Já senti isto. Sou um Lindemberg em potencial? :)

Fernando Ramos disse...

Aliás, obrigado por ilustrar algo que eu achava que só eu havia sentido. Clichê, não?

A Senhora disse...

Mestre, perfeito! Por um momento até senti as mãos no meu pescoço! rss
Beijinhos

Nem Li disse...

Acho que eu me enquadro perfeitamente nesse quesito:

"pessoas alteradas...conquistadores baratos"

AHuaihaIU

iara disse...

ai ...deu meda de vc viu fernando??? rs

pensando bem, do gustavão e do nem li tb. acho que vou ali fazer umas aulas de defesa pessoal.

Altavolt disse...

Lindemberg fez escola!

Daniel Salles disse...

Po, certeza!
A úrsula deu um sossego...sem excessos, mas dá pra marcar alguma sim! Vamos ver se tiramos o casal da toca...hehe!
Abraço

minicontosperversos disse...

Uma resposta só pra todo mundo: talvez no conto tenhamos nos expressado mal. Ou é a opinião pública que está comovida com essa história do Lindenberg.

Esse conto veio de uma idéia nossa até que factível: e se no ímpeto da paixão um cara forte apertar demais (involuntariamente)uma moça delicada? Será que ela não pode se machucar?

Fato constatado. Pode sim.

Por extensão, se machuca, muita força e muita delicadeza juntos não poderiam resultar em morte? Um homicídio culposo?

E aos advogados-leitores, como fica para explicar, na justiça, que tromba de elefante não é conta-gotas?

Anônimo disse...

Gosto do estilo sensual, atiça minha libido, e o final... simplesmente fantático.

Kátia Flávia disse...

eu queria sentir essa experiência na realidade.. deve ter sido tão intensa... sublime e selvagem.. hmmmmm!

Oxum disse...

Magistral o forte erotismo com cheiro a sexo bom que emerge da cena ...
Agora me diga, tinha mesmo necessidade de matar a moça ? :)

minicontosperversos disse...

oxum: reiterando, entre aspas:

"e se no ímpeto da paixão um cara forte apertar demais (INVOLUNTARIAMENTE)uma moça delicada? Será que ela não pode se machucar?

Fato constatado. Pode sim."

de machucar pra matar, às vezes, é um pulinho...