terça-feira, 18 de novembro de 2008

Policial e juíza são presos após bebedeira

Tinha um continho de contribuição pronto para ser publicado, mas recebemos esta notícia um minuto antes. Se encaixa na categoria HISTÓRIAS DA VIDA REAL QUE SUPERAM A FICÇÃO. Assim não dá, é covardia. A gente se esforça, faz maratonas criativas para levar contos razoáveis para as leitoras... aí vem a jornalista Valéria Biembengu, do Paraná Online, e com muita sutileza retrata essa pérola. Prestem atenção na cena da velhinha, hilariante. Se a coisa continuar assim na imprensa, desistimos do blog.

A bebedeira de um policial federal (do Pará) e de uma juíza federal do Trabalho (do Mato Grosso) terminou no xadrez. Após se embriagarem em um bar do Batel, os dois resolveram terminar a noite em um Flat, no cruzamento da Rua Doutor Faivre e Nilo Cairo, no centro.

O simples fato de o porteiro pedir para o agente federal Cláudio Vinícius Nogueira de Oliveira, 32 anos, preenchesse uma ficha de entrada desencadeou a confusão. Irritado, o policial atirou duas vezes contra o porteiro e o segurança do hotel, mas não os feriu.

A Polícia Militar foi chamada e encaminhou Cláudio e a juíza federal Rafaela Pantorotto, do Mato Grosso, para o Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac), instalado no 1º Distrito Policial.

Ele foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio e encaminhado à Polícia Federal. Ela foi autuada por desacato a autoridade e liberada na manhã de ontem.

ESCÂNDALO - A juíza estava hospedada no flat e saiu para se divertir na noite de domingo. Por volta das 5h, retornou acompanhada de Cláudio. O casal quis subir para o quarto de Rafaela, mas foi advertido pelo porteiro, pois como ele não era hóspede, precisava preencher uma ficha.

Fora de si, Cláudio sacou a arma e apontou para a cabeça do porteiro. Assustado, o rapaz entregou a primeira chave que achou. Enquanto o casal subia para o quarto, ele acionou a Polícia Militar, que supôs se tratar roubo contra o hotel.

Assim que o agente da Polícia Federal chegou ao quarto, teve dificuldades para abrir a porta e chutou, arrebentando-a. Só que o quarto não era o da juíza, e sim de uma anciã (de 70 anos) que havia acabado de deixar o hospital e levou um grande susto.

O casal alcoolizado desceu e encontrou o porteiro e o segurança. A juíza começou a xingá-los e o agente sacou novamente a arma. O segurança do hotel tentou tomar a arma e o agente disparou dois tiros, que por pouco não acertaram os funcionários do hotel.

Policiais militares chegaram e efetuaram a prisão encaminhando a dupla ao distrito. Não contente, o casal deu um novo “show”. Ela agrediu verbalmente os policiais militares e os civis, salientando que era juíza. Mas não tinha documentos que comprovassem a função.

O agente quebrou a porta do xadrez com um chute, após ser preso. Depois do “barraco” foi confirmado que ela era juíza federal (passou em concurso em 2006) e foi chamada uma colega de serviço dela para acompanhar o flagrante.

16 comentários:

MARIA disse...

Pô, assim fica difícil competir... viste aquela da mulher que foi desviar do gato malhado, atravessou a pista, atingiu outro carro, morreu e matou o casal que estava no outro carro? Detalhe: o casal eram seus ex-sogros (de um namoro de 8 anos com um filho deles), e, segundo a notícia, O GATO TAMBÉM MORREU!

Altamir disse...

Êta Gustavão, realidade braba que supera em muito a nossa capacidade ficcional, hein? Eu, trouxa que sou, se fosse juiz federal envolvido num barraco desses, teria muita vergonha de me apresentar como tal. Veja vc, só gente importante envolvida, acho que realmente nós estamos todos f... mesmo. Se os cidadãos detentores dos cargos mais respeitáveis (os cargos, não os ocupantes, claro) os utilizam dessa forma, não há saída! E eu, baita otário, lutando por cidadania...Tem horas que dá mesmo vontade de pedir penico e sair pra dar uma c...! Pelo menos em seu último comentário, vc deu a entender que em Curita há mais civilidade, espero que seja verdade, pois, de mundo-cão e "sabe com quem está falando?" eu já tô de saco cheio! Respondendo diretamente à sua pergunta, infelizmente posso me definir como jornalista frustrado, pois iniciei jornalismo na Cásper Líbero, boa faculdade de Sampa, mas só fiz um ano e parei por circunstâncias da época. Nunca mais voltei e, bem depois, me formei em Direito. Hoje sou funcionário público estadual. O blog e outras iniciativas esporádicas são tentativas de me manter conectado ao mundo dos escribas, de que gosto tanto. Quer dizer que a cervejada vai ser dia 11/12? Vou retificar o alvará, rsrs...Desculpe o tamanho da bagaça, mas foi 3 em 1! Abraço!

J i l s disse...

Eita meu Brasil!!
Êta Curitiba, que vira a cabeça da galera ... hehe... aposto que foi a desculpa dela... a "mardita manguaça"... hehe...

Daniella K. disse...

Jim Morrison tinha razão. People are strange.

1000 beijos, bonito.

Kátia Flávia disse...

Eu fui lá ontem atrás deste roteiro cinematográfico, o bacana é falar com o advogado deles. hahahaha.. Enfim, arrogÂncia suprema. Mais um caso arquivado.

Falar e fazer.
Verbos distantes e distintos...

Um é fácil outro é difícil.

Fique bem.

A Senhora disse...

Tadinha da velhinha! BAita susto! Mas... um vem do Pará, outro do Mato Grosso e vão se encontrar em Curitiba?! Que é que tem aí, meu caro? :)

beijinhos

Nando disse...

Juíza desajuizada, longe da sua vara, e portanto ávida por outra, e um policial em busca da perseguida, arrombam quarto ocupado por velhinha.

Sujeito Oculto disse...

Cacete! Como tem idiota legalmente armado por aí! Tem um ex-vizinho meu da PF que sempre desce armado quando tem confusão em festa no prédio. Lamentável.

Antonio Ximenes disse...

Essas coisas me deixam com vergonha de ser brasileiro.

A falta de amor próprio hoje em dia é tão grande... que para se achar mais do que "realmente" é... basta passar num concurso... ter o cargo certo... ocupar uma posição ou ganhar acima da média salarial.

A famosa lei do "Você sabe com quem está falando ?!?"... rs.

Té mais.

nin@ disse...

Será q a juíza não estava satisfeita em sua vara??? hahaha...pelamordedeus tá todo mundo doido nesse mundo...se não queriam preencher uma simples ficha pra não levantar suspeitas, acabaram entrando num show muito maior...
Bj

Bem Resolvida disse...

e as pessoas ainda se acham melhores que outras por causa de cargos e salários...
o inferno vai estar cheio de gente rica!!!!

minicontosperversos disse...

maria - aqui por estas bandas tem a da moça que viajava em alta velocidade com um cachorrinho no colo; perdeu o controle, atravessou pra outra pista e bateu de frente; ela não resistiu aos ferimentos e passou na hora; o cachorrinho? morreu onde a maioria dos homens gostaria de morrer: esmagado entre as pernas dela

alta - seus desabafor são sempre bem-vindos; pode ter certeza que o ano de jornalismo te direcionou numa escrita mais concisa, porque os baicharéis em direito costumam ser prolixos pacas; e sim, vai ser 11/12 - lá pela liberdade: pedimos aos amigos que escolham o boteco desde já!

jils - é, curitiba é a nova sodoma

dani - jimi hendrix também: "acting funny, but I don't know why"

fk - e se é pra falar de música, tascamos uma do keith richards: "talk is cheap"

sra. mirian - CLAAAAAARO que tem; ninguém comentou se algum dos dois, ou os dois ali, era comprometido...

nando - pior que isso: os dois vão ter que depor na CPI dos grampos; querem saber de, além dos fluidos, informações privilegiadas não vazavam também entre quatro paredes

sujeito oculto - recomendamos que num dia de ímpeto etílico o amigo aí evite mandar o vizinho PF enfiar o revolver no c...

ximenes - mas sabe que, via de regra, o "você sabe com quem está falando" acaba saindo pela culatra, né? depois sempre as coisas se ajeitam, mas ali no calor da hora, acaba virando pedovido

nin@ - teria sido bem mais fácil né? mas cachaça e revólver juntos são como laxante: sempre dá cagada

UAU! registrem essa frase aí, acabamos de lapidar!

CACHAÇA E REVÓLVER JUNTOS SÃO COMO UM BOM LAXANTE: SEMPRE TERMINA EM CAGADA

bem resolvida - o inferno é aqui, bela

Charlotte disse...

pow, mas na noite o cigarro é inevitável... sem falar na companhia que ele oferece em momentos de solidão...

***

aah a vida é realmente engraçada, isso dava roteiro de comédia no teatro, seguramente...

Kátia Flávia disse...

Conhecia... e concordo em muitos tópicos. Só que nem argumentei com a minha orientadora: funcionaria perfeitamente bem se aqui não fosse BRASIL.

Mary West disse...

Acho bem Brasil. Nada mais me choca nesse país naum.

minicontosperversos disse...

chalotte - imagina, companhia na solidão; novidade pra gente; sempre achamos que eram os dedinhos...

kf - por que? era roda presa a orientadora?

mary west - que é isso moça, tá perdendo a inocência?