terça-feira, 9 de dezembro de 2008

O escriba

Coçou o pescoço com a caneta e sem querer riscou o rosto. Não se preocupou em apagar. Olhou na cama a mulher dormindo e saiu sorrateiramente.

Sentou no banco de praça e começou a anotar tudo que lhe vinha à mente. Quando estava na terceira página sentiu a presença de um intruso. Com uma lâmina em riste o homem, entre ofensas, exigiu-lhe a carteira e o celular.

E como ele se levantou de sopetão, o intruso avançou com o canivete.

Quase por reflexo se esquivou e estocou a garganta do agressor com a caneta. Se afastou caminhando calmamente, ouvindo um borbulho gutural na respiração do homem caído. Ia sentir falta da caneta.

:: 03.12.2008 ::

23 comentários:

Sweet Toxicant disse...

Certas vezes, para certas situações, eu gostaria de ter essa frieza para agir...
Arranca o mal pela raíz, nem se abala e segue andando...
Seria ótimo!

A Senhora disse...

Coisa horrorosa! Até ouvi o barulho do sangue saindo! Monstro!

Ah, sim... Eu também sentiria falta da caneta... Bom, para falar a verdade, acho que sentiria falta se fosse meu laptop. ;)

Monstro! Ainda está jorrando sangue!

louise disse...

ARGH!!
"Borbulho gutural", ewwwwwwww!
essa arrepiou.

maria disse...

Tão eficiente e preciso como o Zé no post passado.

Taynar disse...

Huuuuuum.
Conto com teor diferente no Mini. Não pela violência, mas pelo meio, fim, sabe se lá.

Beijos, moço

Daniel Salles disse...

A caneta mais forte que a espada!

Altamir disse...

A caneta do escriba em questão é multiuso, hein? E o sujeito a manipula bem de várias formas!

Toninho Moura disse...

Taí uma caneta porreta! E tem o lance do estilo..., da canetada. Mas o povo desvirtua tudo..., logo logo as canetas também atiram!

minicontosperversos disse...

sweet tox - já pensou terminar todos os relacionamentos assim?

sra. mirian - no caso do laptou a técnica seria outra

louise - então sra. causídica OABezada, no caso caberia uma legítima defesa?

maria - ah, a pena é a mesma; mas tem mais a ver com o pouco espaç=o pra contar a historia, vc sabe

taynar - ah, vai dizer que terminamos pelo começo?

daniel - quem dera fosse sempre assim

alta - falando de manipulação, o escroba (este, não aquele) tem preferência pela feita por mocinha bonita de mãos delicadas

toninho - mas faz tempo que tem caneta que atira; meu tio nos mostrou uma dessas lá por 1986

ninguém deduziu a marca da caneta?

Sweet Toxicant disse...

Bem.. todos os relacionamentos não.. mas alguns bem que mereciam!

Altamir disse...

Seria uma Mont Blanc? Quanto à manipulação, mais uma vez o amigo foi certeiro!

Kátia Flávia disse...

A frieza chegou aqui, deve ser a influência das manchetes do jornal nacional. Agora é normal, matar e sair cantando, né? Ou ele tava com ódio do mundo? Enfim...

Não, jamais ia fazer algo pra saber a potencia de comentários, não sou disso, já te falei. Para mim pouco me importa... Gosto dos e-mails. Esses sim acho legais, porque eles aproximam as pessoas...

;*

te vejo a noite! Beijos

Larissa disse...

poorrra!
da caneta!!
(muito bom!!)

Anônimo disse...

tombow

Charlotte disse...

Tarantino's hein!

Alessandro disse...

Descrição formidável.
Parece que vi a cena (e, pelos comentários, testemunhas é que não faltam).
Bom seria se cada um soubesse se defender com o instrumento do seu ofício.
Pensando bem, bom seria se todos tivessem esse dom com a caneta, que é de fácil portabilidade (todos exceto as "vítimas do sistema" - assaltantes, homicidas, et caterva).

minicontosperversos disse...

sweet tox - quisemos dizer no sentido de cortar rápida e eficientemente, sem remorsos; e sair andando tranquilamente (já sem trema, nova ortografia)

alta - sua opinião foi lançada; e a dos demais?

kf - ele estava se defendendo

larissa - falando nisso, haveria outros usos às canetas?

anônimo - pof!!

charlotte - se o diálogo estivesse ali escrito, completo, falando um monte de banalidades antes do fato violento, aí sim; somos mais sintéticos

alessandro - interessante seu ponto de vista, mas como a mulher estava dormindo, era noite; e noite no parque...

se bem que tem gente que dorme de dia, enfim...

MCP e isso: farto material pra cada um trabalhar com sua imaginação

blackcocada disse...

Bicho, gostei mto do seu blog. Escrever suscintamente é uma dádiva. Tenho uma certa dificuldade em relação a isso. Em meu blog me policio em postar determinados contos por conta da extensão, mas acredito q quem gosta de ler e o conto sendo cativante, pq ñ ler? Em relação ao escriba, a caneta sempre foi e será uma arma. Ainda mais sendo uma Bic Cristal... lembrei-me das sarabatanas de bolinha de papel dos tempos de colégio. Hj minha arma é o laptop... Qual será a sua?
abraço

Sweet Toxicant disse...

Ahhh sim, sim..

Tem toda a razão...

Eu ainda não consegui não ter remorsos, a não ser no médio e longo prazo... Mas tudo bem, a gente aprende!

Patrícia Lage disse...

Eu sentiria falta da caneta tbm. Depois de ter escrito tanto e ter dado um fim assim, só com a tal caneta mesmo.

=)
Beijo.

Charlotte disse...

bah Gustavo... quantos elogios!

Grata.

Primeiro hehe: O novo visual do blogue ficou bacana, né? Confesso que demorei para deixar ele como queria.

Segundo: Seria ótimo que mais homens lessem aqueles textos. Não que a intenção seja atingi-los, mas como um bom blogue de queixas de amantes mal amadas cumpriria bem o papel de tocar o coraçãozinho destes homens que tanto mal fazem as mulheres... hahaha

Terceiro: Grata, grata, grata mil vezes. É de fato uma honra saber que gosta dos escritos.

Quarto (por minha conta): Parabéns pelo talento! Difícil não voltar aqui para acompanhar o que escreves.

Beijos

Frank Saiu disse...

Parabéns, sensacional a capacidade de síntese e de ir fundo como a caneta!

Renatinha disse...

Cada um com seu instrumento de trabalho... o escriba com sua caneta... o ladrão com seu canivete. Ocorre que, em um mundo globalizado, o sujeito precisa ter um perfil 'mult skill'.