sexta-feira, 5 de junho de 2009

Eu beijei uma vaca porque não sei me controlar

Exercício criativo-literário cometido tardiamente pelo amigo Bemjamim Ventura, baseado no Jogo MCP 1. Logo o blog dele vai pro ar e a gente divulga. Concordam comigo que não dava pra segurar, né? Um catucão desses não (piada interna pranquem acompanhou/participou o[do] jogo) - GAME OVER

Minha falta de controle é item de comentário entre meus amigos. No tempo em que usava drogas (procedimento que adotei por não saber me controlar), estava sem grana um dia — melhor, uma noite —, quando vi uma mocinha que parecia muito simpática e caridosa, e gentilmente solicitei a ela uma breve contribuição para meu intento de encher uma lata que carregava comigo. Ela não precisava saber o conteúdo. E não faria falta pra ela, eu só queria um trocado. Diante de sua recusa, fui obrigado a ensinar-lhe umas verdades sobre caridade e ajuda a seus semelhantes. Tomei uma voadora que até hoje faz doer meu cotovelo esquerdo em dias frios. De certo que, se ela andou espalhando essa história por aí, ela jura que a história acaba aí. Mentira. Mentira da gorda. Aquela vaca me olhava com tanto nojo que julguei que o que pior que poderia fazer para retrucar sua admoestação seria beijá-la. Ficou se fazendo de difícil no começo, mas na semana passada batizamos nosso segundo bacuri.

15 comentários:

F. Reoli disse...

Ha ha ha... tava lendo uns posts anteriores e tentando entender, mas demais os textos - como sempre - meu velho!
Abração

Única e Exclusiva disse...

Que viagem Rs...rs...rs...

Estes troços não fazem bem pra ngm... que situação...

Tentei imaginar a cena da voadora no "cotovelo esquerdo" Rs...rs...rs... oH tadinho ¬¬'

Ainda bem que ainda deu frutos esta tórrida "relação" Rs...rs...rs...

Besitos ú&e ... E fico na espera da divulgação do blog, bendito entre nós...

Fernando R. Silva disse...

Olha só, e a Sweet Toxicant tentando esconder o jogo.

Nem adianta dizer que não tem dois bacuris com o que você disse ser mendigo, ouviu, Sweet? E a voadora nele, aposto que é sadomasoquismo de vocês!

Como é bom ouvir a perspectiva dos outros envolvidos na história. :)

Gustavão, proponho uma acareação. Que tal?

Mariana disse...

Adoro gente que tem bom humor.
Beijo

Ana Britto disse...

Eu fico imaginando como esta a vida desde(exemplar) casal,não deve ser nada monotona, o primeiro bacuri ja sabemos de que forma veio e agora o segundo? xiii acho melhor seguir os proximos comment.

Sentimental ♥ disse...

àquela vaca...
mas bacuri? não seria bezerrinho? rs
bjs

Vampira Dea disse...

Eitha! Quando penso que daquele jogo não sai mais nada, olha a novidade! Adorei, presenciamos um extracotidiano surgimento de mais uma famulia brasileira,lindo! Rsrsrs.

Altavolt disse...

Só estou ansioso pela resposta da bela Sweet Tox! O que será que ela irá achar dessa outra versão da história? Será que ela vai processar o autor por calúnia e difamação? rsrsrsrs

Taynar disse...

Coitada da vaca.
Ou do bacuri.
Ou de mim!

ah, coitados!

Beijos

Sweet Toxicant disse...

HAHAHAHAHAHAHAHA
PUTAQUEOPARIU!!

Eu ainda não tinha lido, o Gustavo foi lá no meu blog avisar e eu pensando que era outra coisa...

"...quando vi uma mocinha que parecia muito simpática e caridosa..."

E depois me chamou de Vaca, Bemjamim?? Vaca?? Bem que você não vive sem a Vaca né? Vai buscar o Júnior na escola, hoje é a sua vez! E se chegarem tarde, não tem sobremesa.

É dose, quando a gente ama e não quer assumir, acaba é difamando o outro né... rs

Brincadeiras à parte, adorei a criatividade do rapaz, embora seja meu desconhecido.. rsrsrsrs

Gustavo, quando vem o Jogo MCP 2?? Estou ansiosa!! rs

Beijooss a vocês!!
Principalmente pro meu beijoqueiro Bemjamim! rs

Bemjamim disse...

Reclamas agora, na frente dos outros
Diz que não valho palavra cruzada
Nem sal que tempere mi´a parca comida
Que tudo que digo não te afeta em um pingo
Mas baby, no fundo, no fundo, entre quatro paredes
Adoras e gritas de “amor” quando eu xingo.

Isabela Dantas disse...

Sensacional.
Nunca duvidem da força de cura do amor no delírio. Nunca.

Beijos a todos os envolvidos.

minicontosperversos disse...

fábio - valeu, amigão; andava sumido; nessas coiosas de jogo literário , vc é pioneiro, lembramos daquele dos transportes coletivos e fotos sensacionais...

ú&e - divulgação do blog "bendito entre nós"? é seu? é novo?

fernando - a sweettox tava meio distraída, fomos lá, "catuquei" e a acareação está no ar

mariana - adoramos suas passadas furtivas por aqui

ana - imaginação é o segredo

sentimental - sabe que a gente sempre viu bacuri como cria, mas se vc pegar o dicionário, não tem nada a ver; vejam do aurélio: [Do tupi.] S. m. Bras. Amaz. 1. Bot. Árvore da família das gutiferáceas (Platonia insignis), de fruto grande e carnoso, com polpa amarela, muito apreciado como alimento, sobretudo no PA; bacurizeiro, ibacurupari. 2. O fruto dessa árvore. bacuri2 S. m. Bras. PB 1. Espécie de manga3 (1). bacuri3 Bras. S. 2 g. 1. Etnôn. Indivíduo dos bacuris, povo indígena das nascentes do rio Arinos (MT).
Adj. 2 g. 2. Pertencente ou relativo a esse povo. [Tb. us. como s. 2 g. e 2 n. (com cap.) e adj. 2 g. e 2 n.]

melhor bezerro mesmo

vampira dea - uma família bastante origoinal, diga-se de passagem; perguntamos: o narrador teve de fazer "rehab", ou continua nas latinhas?

alta - tivemos que "catucar", bro!

taynar - ah, não! coisata de vc não! tamos certos que gostou

sweettox / benjamim - tão achando que o mcp é ambiente para encontros? GET A ROOM!!! e quanto ao novo jogo: deixa a gente escrever e publicar um pouco, senão as leitoras nos dão uma JC

isabela - pra vc tb, bela; o amor realmente cura tudo

Ragas disse...

hehehehe... muito bom...

Sentimental ♥ disse...

eu sei, por isso perguntei se não seria um bezerrinho, justamente pq sou das bandas do norte/nordeste e sei bem q bacuri é fruta, aliás, é uma delícia.

ah, e para 'agravar' eu conheço muito bem a questão indígena, já q convivo com eles desde q nasci.

bjs