segunda-feira, 21 de junho de 2010

A balada das minhas origens

Estamos meio atrasados, mas vai lá: O Sandi Bartnik Godinho (camarada daqui de Curitiba que tem nome bacana que lembra "beatnik") lançou o desafio e nos indicou para dar início à aventura, aí nos esforçamos para não perverter demais o tema no primeiro capítulo, e passamos a bola para a amiga Menina Misteriosa, e aí a coisa tá andando sozinha organicamente. Vai virar uma novela ou romance de 41 autores. Pode imaginar onde vai chegar?

Minha certidão de nascimento foi maculada pela expressão Pai Desconhecido. Hoje em dia pode não parecer grande coisa, mas, naquela época, era o que precisava para meio mundo me chamar pelas costas de "filho de uma prenda desmiolada". Quantas e quantas vezes acenei de cabeça e concordei calado quando em roda de conversa algum interlocutor benevolente, sem saber minha condição, dizia "Mas pra quê colocar isso na certidão? Vai condenar o coitado a vida toda. Invente um nome qualquer, João da Silva que seja".

Minha cidade de nascimento é Quaraí, está ali na certidão. Fica perto de Santana do Livramento e da tríplice fronteira. Cidade de índio-velho, como minha boa mãe costumava dizer quando eu perguntava das origens. A propósito, minha mãe tinha lindos olhos azuis ofuscantes. E foi a força persuasiva desses olhos que nos libertou de viver praticamente enclausurados na casa de meus avós. Não tenho lembrança deles, pois antes que eu completasse três anos minha mãe aproveitou a passagem de um viajante abastado e conseguiu condução e teto para nós dois no Estado do Paraná. Saímos fugidos da casa de meus avós, e como minha mãe era temporã, nem por foto os conheci.

Quaraí é uma palavra linda, de origem Tupi-guarani e significa: "rio das garças", o que aprendi depois de pesquisar muito na escola do bairro São Francisco, em Curitiba, onde o viajante nos instalou e onde vivemos por muitos anos. O clima é parecido com o da minha terra natal, frio cortante, mas desde os anos 60 é uma cidade grande, o que fez a vida de minha mãe dar uma guinada. E me isentou de muitos problemas na infância e adolescência, pois nada é pior do que ser conhecido como filho de uma mãe-que-ronca-e-fuça.

O São Francisco é o bairro mais antigo de Curitiba no que se pode chamar de paisagem urbana. Desde o início do século XX já era conhecido com esse nome, e desde que nos instalamos num sobrado gélido e de pé direito alto, minha mãe passou a frequentar a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas.

Desde cedo chamei o viajante de pai, e não é preciso muito discernimento para deduzir que o Sr. Cândido Schahin só passava em casa um final de semana a cada quinze dias, e que superada a adolescência eu já inferia que ele mantinha outra família. Outras talvez.

Minha mãe foi batizada Querência, tinha lindos olhos azuis, corpo de menina, muito tempo livre e duas características de personalidade que, juntas, compõem uma mistura explosiva: senso prático e egoísmo.

9 comentários:

Mirian Martin disse...

Oba!Uma saga! :)

Vampira Dea disse...

Doida pelos próximos capítulos.

Luna Sanchez disse...

Excelente!

Cadê o terceiro capítulo, Gustavo? Onde eu encontro?

Beijo, beijo.

ℓυηα

Luna Sanchez disse...

Ah, sim : tem link pra ele lá no blog da Menina.

Vou ver. ;)

Taynar disse...

Combinação explosiva!

beijos

minicontosperversos disse...

Mirian - É, amiga, lembrou as saudosas sagas do Caldeirão da Bruxa!!!

Naquelas sim aprontamos!

Quem sabe você não cai na roda e escreve um capítulo?

Vampiradea - Quem sabe você não cai na roda e escreve um? [2]

Luna - Achou, bela?

Taynar - Essa foto do perfil, hein? E ESSA FOTO DO PERFIL!!!!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
GUSTAVO

ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE BLADE RUUNER , CHOCOLATE, EL NAZARENO- LOVE STORY,- Y- CABALLO.

José
Ramón...

minicontosperversos disse...

G
r
a
n
d
e

J
o
s
é
:

B
i
e
n
v
e
n
i
d
o

Vampira Dea disse...

Adoraria!!!!!!!!!!!!!!!!!!!