sexta-feira, 11 de junho de 2010

Dia dos namorados macabro IV

1º ato — Ela entra no carro linda e radiante, um envelope na mão. "Olha aqui seu primeiro presente", passagens para uma viagem para os dois ao Nordeste em julho, "o segundo dou depois. Eu te amo".

2º ato — Escolher um restaurante bom e tranquilo no dia dos namorados é um desafio, mas ele tira de letra. Dividendos da experiência. Um lugar charmoso e praticamente só para eles. Encantada, ela resolve dar o segundo presente no restaurante mesmo. Suspende os cabelos longos para o lado com muito charme e exibe a letra G tatuada na nuca, envolta por duas asas de borboleta estilizadas. Ele não sabe como reagir, foi inesperado. "Tatuagens são para sempre. Assim como o amor que eu sinto por você", diz emocionada.

3º ato — Já no quarto, ambos muito excitados como sempre ficam no prenúncio do fazer amor, ele dá um anel para ela. Nada extravagante, um diamante discreto, nenhum pedido, mas simplesmente um mimo que ela merece. Ela diz "eu te amo" várias vezes enquanto fazem amor.

4º ato — Ela demonstra frustração por não ter recebido "o pedido" nos nove dias e noites maravilhosos que passaram na praia paradisíaca do Nordeste. Descompensa nas compras. Surgem desavenças, mas ela coloca um ponto final com um "eu te amo" brutalizado por seus olhos verdes cristalinos.

5º ato — Na volta à rotina, depois de desmarcar dois encontros, ela telefona e pergunta se ele quer realmente ir no aniversário da avó, em que toda família vai se reunir, pois os lugares serão insuficientes. Ele a manda enfiar o lugar, os pratos e os talheres no cu. Ela não diz "eu te amo" na despedida.

epílogo — Três dias após, quando se encontram para devolução das coisas dela que ficavam na casa dele, aparece a tatuagem com o G já coberto pelo corpo da borboleta. Sem mágoas, decidem se tornar bons amigos, mas como todo mundo sabe, isso é só uma piada de mau gosto.

 

:: 11.06.2010 :: Este MCP é continuação da série Dia dos namorados macabro (I, II e III), como prometemos em 2009; percebam que é o mais trágico, motivo pelo qual optamos pelo formato teatral (roteiro). A vinheta foi "emprestada" do falecido naosaiacomele.com

12 comentários:

Marília_dosAnjos disse...

Não tenho um cafajeste mas, quero um para me virar em uma cafa.. Serve tmb?

Beijos ú&e ;***

Luna Sanchez disse...

Fiquei "presa" entre um clique e outro, e não consegui ler o conto...que pena! =(

=**

ℓυηα

vanessa leonardi disse...

Gustavo,cheguei aqui pelo blog da Cris Guerra,(eu acho), e gastei um tempão te lendo...O Caixa Mágica não é doce não, nem eu... É só uma forma que encontrei de dar mais cor nos dias. Enfim, fico feliz pelo contato. Vou comprar teu livro, moço e já que tanta gente daqui te visitou através do meu blog, quem sabe não leem o que eu indicar tbm? Que tal? Se der certo, vc me repassa uma comissãozinha? hihihi...
brincadeira!

te beijo, seu moço perversa_mente simpático

=)


.

Dedinhos Nervosos disse...

É... Santo Antônio está meio fora de moda. Quem mandou ficar fora de forma, né? Se depender dele... hehehe

Vampira Dea disse...

Ah com certeza, guia perfeito para safadezas juninas.

Andréa Silveira disse...

Oie! Bom, não sou de Curitiba..
Obg pela visita!

http://meuprojetopiloto.blogspot.com/

Victor Hugo Domingues disse...

Se fosse eu o namorado a receber de presento o livro ficaria amarradão!

Ótima pedida!


Abraço

minicontosperversos disse...

-------- CORTA ---------------

Os comentários acima são do "post varejão" do MCP para o Dia dos Namorados. Preferimos não deixar no ar -- pra quem tiver curiosidade, tá lá no blog do livro.

O "tragiconto" que publicamos hoje vem de uma promessa feita na véspera do Dia dos Namorados do ano passado. Tá aqui, ó:

================================
PESSOAL - sobre os comentários da série "Dia dos Namorados Macabro", faremos na sequencia; como podem imaginar, nossos dias estão lotados

A propósito, o episódio IV, o mais macabro e lírico, não foi ao ar. Estamos pra decidir se publicamos logo após, tipo em atraso, ou se deixamos dra 12 de junho de 2010. O que vcs acham?"
===============================

O povo pediu, está ele aí hoje para vocês se divertirem.

Vou (atenção, em 1ª pessoa) desaparecer hoje e só volto segunda. Fui

Extase disse...

Conto fudido....e perverso....

Luna Sanchez disse...

É uma droga essa mania de oferecer aos outros o que queremos pra gente...tem tudo pra dar errado.

E dá.

Beijo.

ℓυηα

minicontosperversos disse...

Marília - não tem um cafa por que não quer, bela

Luna - bela, o conto, só no livro; devia se aventurar

Vanessa - certamente rolará comissão; entregamos pessoalmente - avise quando divulgar

Dedinhos - quanto tempo, hein? concordamos, existem meios aparentemente mais eficientes hoje em dia; tanto para começar como para destruir relações (são os mesmos meios)

Vampiradea / Vitão / Êxtase - Os amigos sabem...

Andrea - de onde então, bela?

Luna - tipo... "ah, a gente noiva mas só eu uso aliança; vc só usa quando vier ver minha família... que tal?" tipo asim?

Luna Sanchez disse...

Beeeeeeeem tipo assim.

Risível.

Beijo, Gustavo.

ℓυηα