sexta-feira, 18 de junho de 2010

Footing

Quem conhecesse a Menina Misteriosa lá nos primórdios do blog e das tuitadas dela, e lesse este continho que ela escreveu — enviou pra nossa apreciação e tomamos a liberdade de publicar no fechamento da Semana da Contribuição MCP — não acreditaria que era coisa dela. Pois ela tem ficado cada vez menos misteriosa e cada vez mais atrevida. Melhor para nós, leitores. Esperamos que o MCP não tenha sido influência.

Namorar, naquela época, só na praça, aos domingos. Moças andando em sentido horário; rapazes, anti-horário. Eventuais trocas tímidas de olhares. Depois de meses, podiam andar de mãos dadas. Ela, filha do prefeito, sobrenome importante, sempre quis burlar as regras. Mas o cabresto severo não permitia.

Seus pais escolheram o 'futuro marido'. Moço tímido, trabalhador, de boa família. Tão 'respeitador' que marcaram o casamento sem trocar um beijo sequer. Mas ela só tinha olhos para o 'Grama'. Arruaceiro, vagabundo, marginal, bêbado e ex-detento. Viva pelos becos. Era amigo dos mendigos e o queridinho das 'damas da noite'.

Um dia, se encontraram atrás da igreja e a diversão começou. Mas como se livrar de Emeraldo, seu noivo? Não podia ser deserdada, o Grama e ela nunca trabalharam.

Emeraldo, desconfiado, começou a seguir o Grama. Até que os pegou no flagra. Aproveitou o momento e fez a proposta: se casaria com Dazinha para contento das famílias. Cairiam nas graças da sociedade e manteriam as aparências. Dinheiro não faltaria. E ela ainda poderia continuar se encontrando com o Grama — que, aliás, iria morar com eles, sob o pretexto de cuidar do jardim — mas apenas três dias por semana. No restante, o Grama seria dele.

Dazinha concordou, desde que seus luxos fossem mantidos, que fosse sustentada, mimada e bem comida. Grama, acostumado com a vida nas ruas e prisões, nem titubeou. E deu um bom trato em Emeraldo ali mesmo, para expressar sua gratidão.

34 comentários:

Anônimo disse...

Excelente!

Noh Gomes disse...

Adorooooooooooooooooo


mas não vou falar do que Adoroooo


rsrs

minicontosperversos disse...

1) Eita mentezinha engenhosa

2) Esse nós queríamos ter escrito

bocasmalditas disse...

Menina,

Certas exceções só são abertas para grandes amigos ou grandes amores.
Se eles ficaram felizes é o que importa, né?!

Adorei ver esse seu lado mais doidinho!! rsrs

Beijos! Ju

Mari - é como quero ser chamada disse...

Vai veeendo!

Vampira Dea disse...

Eitha cabecinha misteriosa! Agora me deu medo.

Patrícia disse...

Adorei!Como tudo que escreve.Todo mundo satisfeito...Bem que podia ser assim na real.Bjssss

Mauro Sérgio de Morais disse...

Rapaz, essa menina merece uma semana especial de posts...

adorO

Lia disse...

Amor a 3!

bocasmalditas disse...

Menina,
Voltei! RÁ!!

Estava aqui lendo Fernando Pessoa e me deparei com a seguinte frase:
"O mal verdadeiro, o único mal, são as convenções e as ficções sociais, que se sobrepõem às realidades naturais".

Beijos!

Anônimo disse...

Tem gente destrinchando o MCP

Fábio disse...

Só faltou o “E todos viveram felizes para sempre...”

Belo Conto.

Abraços.

Martins De'Áries disse...

Foda!!!! Parabéns!

Anônimo disse...

Essa eh nova. Nao vi ela aqui antes, soh em comentarios recentes. E jah esta publicando assim? Onde vc arruma essas mulheres atrevidas e sem escrupulos? E pq da tanta liberdade?

Alojz disse...

You should have your blog in other languages. Looks interesting.

Alojz

Marília_dosAnjos disse...

Suspeita pra falar, minha amiga querida, conheço sua inteligência e um pouco dessa mente brilhante... Fechou com soberania as contribuições... E que venham mais.

Beijos ú&e nela =****

Aninha disse...

Sou a única aqui que conhece a Menina pessoalmente e até eu estou surpresa.
Mas atrevida, Menina, você sempre foi e nem adianta ficar 'bravinha'comigo.

Te amo,beijo Aninha

Aninha disse...

Sou a única aqui que conhece a Menina pessoalmente e até eu estou surpresa.
Mas atrevida, Menina, você sempre foi e nem adianta ficar 'bravinha'comigo.

Te amo,beijo Aninha

Luna Sanchez disse...

Rá! Interesses preservados, perversão garantida, sorrisos soltos e peles bonitas : que mal pode haver em um acordo desses?

Sou fã de carteirinha da Menina, vivo de orgulho dessa minha amiga querida! Amei! =)

Beijos aos dois.

ℓυηα

Alline disse...

Tô com a Luna - se todos acabam satisfeitos, que mal pode haver?

Anônimo disse...

G. os seus são MUITO melhores
Ela é sua amiga COLORIDA?

minicontosperversos disse...

Como a dona da mente engenhosa, "bravinha" como disse a Aninha, não apareceu pra responder, respondemos nós

Anônimo - Salve!

Noh - Ahhhhh, falaaaaaaaaaa

Bocasmalditas - Vai que esse "lado" é a pontinha de um iceberg, né? Como diz um primo/irmão: "E depois o louco sou eu!"

Mari - Vai exibiiiiiindo!

Vampiradea - Como dissemos antes, esse queríamos ter escrito

Patrícia / Lia / Bocasmalditas[2] / Fábio / Luna / Alline - Na teoria. Em nossa modesta opinião, essa história só termina em crime passional. Vai que o Grama pega nojinho...

Mauro - Merece sim! Toda semana é semana nos blogs dela!

Anônimo - É, percebemos no Analytics: mais de 600 pageviews - leram do começo ao fim

Martins - Em vários sentidos

Anônimo - Ah, talento se reverte em privilégios; a propósito, trollagens à parte, ela frequenta o MCP há MUITO tempo (como anônima?)

Alojz - Dearest, after publish the second book, we intend to translate some of our short-short-stories and takes the international market, maybe through "Lulu Self Publishing and Book Printing Solutions"

Marília / Luna - fiquem rasgando seda assim que depois a gente engata num ciúme e nem a leu maria da penha salva

Aninha - Ah, você é a única? Ahhhhhhhhhhhhhhh, mas conta desse privilégio pra gente, conta?

Anônimo - Todas as amizades são coloridas, pois amizade é uma coisa bela e de deus, como o arco-íris

Relações em preto e branco são as que temos com as atendentes de callcenter e com aqueles com quem mantemos relacionamentos afetivo-burocráticos [abrimos mão de ambos]

Miltextos disse...

Imoral da história: no amor e na guerra, tudo vale...

Nelson Rodrigues se orgulharia.

Denison Mendes disse...

excelente. texto na medida, sem excessos... opa! só de talento.

e lá vem a menina a nos revelar...
quero desnudar-te, nenhum mistério.

beijo,
denison

minicontosperversos disse...

Em tempo: ela disse que o MCP NÃO FOI influência.

Fernando Ramos disse...

Depois ela vem me dizer que não é #cafinha, Gustavão, escrevendo assim, acredita? E não deve ser mesmo, afinal de contas, você não o é, certo, Emeraldo? Digo, bom moço. Hehehehe.

Linda, tua narrativa está ótima! Mas muito mesmo! Achei muito bom, parece que quem escreveu foi um homem. Gostei demais! E o final, com o Emeraldo, foi excelente. Afinal, homem certinho é na verdade, um cara muito do gay!

minicontosperversos disse...

Miltextos - Nelson Rodrigues, homofóbico e moralista que era, deve estar se revirando no túmulo

Denilson - Essa menina tem mistérios mais oculto do que imaginamos

Fernando - Sou ESPADA

minicontosperversos disse...

Mas tão espada que tem que falar até no masculino: ESPADO

Ivana disse...

porque foting e grama?

Marco disse...

Simplesmente sensacional!

Vampira Dea disse...

Não entendo pq vcs homens quando querem confirmar a masculinidade falam que são espada. Esquecem o tempo todo que espada corta dos dois lados.

Lia disse...

Arrasou! Mais? Sai o noivo, eu entro e continuamos essa história. Nosso "conto" a 3..
Topa?

minicontosperversos disse...

Ivana - tracadilho com futebol? que se joga na grama, na época da copa?

Marco - esse tem foco visual pra uma HQ, né?

Vampiradea - depende da espada, bela; tem umas que só FURAM (tipo as de esgrima)

Lia - Perfeito; só falta você se materializar

Vampira Dea disse...

Não meu lindo. As de esgrima não só furam tem a lâmina rsrsrrs, desista.
Pq vcs não falam então que são uma cimitarra ou Katana oriental? Ou melhor uma peixeira nordestina?