terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Pequeno conto de natal (ou Curitiba e suas intrigas de shopping center)

Homem comum, trabalhador e bem remunerado, disse pra esposa que sairia do trabalho no fim da tarde para comprar os presentes de natal. Acabou num snooker barato com os amigos (ficou sem almoço para fazer apressadamente as compras), tomou mais que devia e no caminho de casa resolveu "pegar" um travesti na Praça do Atlético "para dar uma variada". O traveco, mancomunado com uns bandidos, armou uma cilada para o coitado. Levaram-lhe o carro com todos os presentes no porta-malas. Por sorte, no dia, a polícia estava de vigília e uma viatura interceptou e prendeu os criminosos. Para prevalecer a versão da vítima — de que tinha sido assaltado pelos marginais e depois estes é que pegaram o travesti — os "oficiais" confiscaram os presentes e o taco de sinuca profissional do executivo. E o carro, luxuoso seminovo, ficou com três buracos de bala. Na festa de natal, ele foi o herói da garotada.

:: 21.12.2010 ::

8 comentários:

minicontosperversos disse...

Corajoso seria o contista que publicasse isso em primeira pessoa.

Shuzy disse...

hahaha

Seus contos são muito bons!

Mari - é como quero ser chamada. disse...

Feladamãe!

O Matuto disse...

pensei que ele terminar como o boleiro reclamando do travesti:..."eu não vou pagar, não pago, não pago...".

Biiiih disse...

Nada cmo uma boa mentira!

Adoreiiii!

eLi disse...

Tanta produção, planejamento e gozar, que é bom, nada!
Mas tá valendo. A reputação está "garantida", o que possibilita de uma segunda tentativa com outra travis, que não seja do crime (afinal não podemos generalizar, né?)



Legal voltar, depois de muito tempo, a ler tudo isso aqui. O nível/qualidade/humor estão sempre em alta!!

Cassiana disse...

isso sempre foi assim, o contista, digo, cara que inspirou o contista era fã do ronaldo ou eu que tô muito por fora mesmo? onde esse mundo vai parar meudeus!!

minicontosperversos disse...

Shuzy - com esse sorriso, você pode voltar sempre

Mari - que raivinha é essa?

Matuto - é, mas no caso do boleiro, pode ter certeza que começou do mesmo jeito, só tirando os presentes e colocando um churrasco no lgar do sinuca; ah, sim, e faltou farinha no churrasco

Biiiiih - você realmente acredita nisso?

eLi - seja mais que bem-vindo, amigo eLi; pra quem não sabe, o tempo que ele passou fora estava aqui: http://bellboyabordo.blogspot.com/

sobre o executivo, o perfil do carinha sugere que nem sinica ele sai prajogar mais

cassiana - o cara que inspirou o contista era chefe de uma ex do contista; e você, irmã, bem sabe que o contista não tem vocação pra variar nesse sentido