terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Vicinho

Todo dia
Quando eu entrava ou saía
A vizinha me sorria

Todo dia
Quando saía ou entrava
Ela me olhava

Desconfio
Que a vizinha
Quer ser minha

Ou dá trela
Porque me quer
Para ela

Acontece
Que a vizinha
Já tem dono
Safadinha

:: 07.12.2010 ::

11 comentários:

minicontosperversos disse...

Inauguramos um novio formato.

Vampira Dea disse...

É. O poema safado. Afinal esse poema é uma pergunta ou uma certeza?

Luna Sanchez disse...

Tendo dono é até melhor ou eu estou doida?

Beijo, beijo.

ℓυηα

minicontosperversos disse...

Mudamos o nome, pra VICINHO, pra ficar um trocadilho melhor como corruptela de "viciozinho".

E também o marcador pra essa nova classificação. Tem muito minipoeminha aí que vale uma história.

Eduardo Passos disse...

Poesia no MCP faz logo pensar em besteira. Fique aí só poetando.

Afrodite disse...

E desde qd ser de outro é impedimento?
Dividam ,ué!
hahahahaha
Beijo!

Raoni Moura e Carolina Zuppo Abed disse...

O amor é para ser divido! Fica a dica ehhe!!

nin@ disse...

vai ver a vizinha é mesmo uma daquelas almas caridosas, coitada, não tem problema em dividir seus bens com o próximo. Bem de qualquer forma, vai continuando aí a "poetar", mas preste atenção no nosso amigo Eduardo,logo acima: o verbo é poetar!!!
Nin@

Flavinha Mel disse...

MCP extremamente poético esse.

Nunca dei essa sorte de ter vizinhos interessantes...nem vizinhas.

DIZDIZENDO disse...

O que não te impede de sair ou de entrar...

Ninê..® disse...

hum, pq eu não tenho vizinhos assim? ô mundo injusto.