quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Relatos de um veraneio praiano II

Não que a Roberta fosse só bonita, ela era LINDA em toda vulnerabilidade dos seus 16 anos. Pedrão, o namorado, tinha os mesmos 19 que a maioria do pessoal da turma, e era um conhecido que a gente encontrava na praia.

Era fim de tarde, eu papeava com meu tio do interior de São Paulo na frente de casa quando aparece o Pedrão com a Roberta, dizendo que ela estava a fim de sair à noite e perguntando se eu não poderia FAZER O FAVOR de levar, pois ele estava com uma indisposição gastrintestinal. Óbvio que eu disse sim (releia o começo) e combinamos a hora em que eu pegaria a sereia, enquanto meu tio dava cabeçadas na porta de entrada, incrédulo com o que tinha acabado de presenciar.

Não vou entrar no mérito do que aconteceu na noite, pois cavalheiro não conta vantagem, mas o problema é que ela gostou, queria mais e resolveu que ia confessar tudo para o Pedrão — o detalhe é que o "ão" não era de graça, o rapaz passava de um e noventa. O instinto de sobrevivência falou mais alto e passei o resto da temporada evitando o casal.

:: 27.12.2010 ::

12 comentários:

José María Souza Costa disse...

A vida terá sempre pela frente desafios e outras coisitas más
Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Tempo Agradável, Harmonioso e com Sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito Simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Se tiveres tuiter, e desejar, é só deixar que agente segue.
Um abraço e fique com DEUS.

http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Maria disse...

moral da história: pedrão era viado.

nem precisava se preocupar.

Mari - é como quero ser chamada. disse...

Mas é cafa mesmo.

Anônimo disse...

É bem a sua cara, rs!!! Vc fala, fala e não passa de um bostinha!!!!!!!!!!!

Beijos, meu caro pra caralho!

minicontosperversos disse...

É sempre bom lemkbrar às lindas leitoras e aos camaradas leitores que o MCP é um blog de CONTOS e não um diário ou confessionário, ou seja, o que aqui vai escrito é, a priori, ficção. COMBINADO?

Patrícia - miramos não, né? miram

José Maria - nada simplório, meu caro; nada que se faz de coração é simplório

Maria - na MOSCA

Mari - cafa sim, canalha, jamais

Anônimo - eita comentariozinho ambíguo, hein? quase andrógino

Moska de Bar disse...

Porra, aposto que o Pedrão, no ato da "entrega" tava com uma tanga frouxa e ostentando "com orgulho" a camisa do São Paulo...ha ha ha...
Puta Ano Novo, Gustavão. Que venha 2011, em curvas sinuosas e pernas bem abertas!
Grande abraço!
Fábio.

Fernando Ramos disse...

Afinal de contas, conhecido não é colega, quanto mais amigo. E pelo que Roberta me contou, o superlativo do nome é ironia que ela mesma inventara.

Extase disse...

Pedrao.... isso que dar desfilar com mulher bonita. Elas são sinistras rapaz.

Duda disse...

Que 2011 seja assim... sempre!
cheio de acontecimentos... TE ADOROOOO...

FELIZ ANO NOVO.
Beijobeijobeijobeijobeijo pro ano inteiro.

Sujeito Oculto disse...

Essas situações devem ser evitadas desde o começo. Já recebi várias ameaças de "ões", não foi legal.

minicontosperversos disse...

Moska - não bota o time (mãe) no meio, que senão botamos no meio do time (mãe); sobre 2011, assim seja!

Fernando - quer dizer que andou por aquelas bandas também? safadinho...

Extase - ainda somos pelas bonitas, amigão!

Duda - como disse o moska...

Sujeito Oculto - mas, como dito no começo, a Roberta era inevitável (foi o que nos disse o narrador)

eLi disse...

Pô! O cara ser viado até vai, mas ser corno??
Não entendi a tática.
Se era para manter as aparências (de hetero macho), porque não chegou como primo, irmão??

E, por fim, que moleza é essa de um cara que recebeu na bandeja, comeu, lambeu os dedos e agora se diz sem fome. Por favor!! Um gay e corno e outro borra botas??


Tô adorando voltar a este endereço!
Tão bom como sempre foi!

Abração!