quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O anão era o cara

O Luciano Pfeifer, d'O Gergelim, é freguês antigo aqui do blog. Vamos deixar o espaço dos comentários pra ele explicar o por quê do nome do blog dele. Continuamos firmes e, desta vez, disciplinados na V Semana da Contribuição MCP. Lembre sempre, amada perversette/caro leitor: aqui você se diverte e fica mais inteligente!

Início dos anos 80. Em uma boate suspeita, com nome de nave espacial, reuniam-se personalidades que seguidamente figuravam nas croniquetas pequeno-burguesas do jornal, de edição semanal, de Picapoca. Pois dizem que numa madrugada de sexta para sábado estavam na tal boate, junto à mesa mais entusiástica do lugar, um ex-prefeito, Dona Marly, a poderosa cafetina, três garotas da noite, um cara do ramo imobiliário, o garçom — aquele que tinha todas as manhas — e o Clóvis, mais conhecido por Clovinho, o anão. Clima de muita animação. No mesmo local, rolava um show de strip-tease brega, barulheira de copos, burburinho de outros frequentadores, muita fumaça e um cheiro empesteante de álcool no ar. Como se o próprio Demônio Algol tivesse passado pelo antro. Ah, sim, e vários cantinhos mal iluminados onde casais se esfregavam, sem pudores, antes de subirem em direção aos quartos que ficavam numa parte anexa do inferninho.

Aí que lá pelas tantas encresparam com o Clóvis e começaram a tirar o maior sarro dele. Aquelas coisas: piadinhas sobre anões, risadinhas cínicas e tal. Como diziam umas figuras da antiga, tiraram o baixinho pra cristo.
 
Quanto ao Clovinho, bom, o Clovinho só na dele, quieto. Mas a encheção foi tanta que começou a ficar constrangedor. O ex-prefeito, que já estava pra lá de Bagdá, em dado momento quis saber como é que o anão fazia pra cagar. O cara da imobiliária tirou o rosto que estava mergulhado entre os seios fartos de uma das garotas para responder que decerto o anão cagava em um penico com medo de cair e morrer afogado dentro da privada. Risadeira total. D. Marly chegou a se engasgar com um gole de Campari. E o teu pinto Clovinho? Precisa de uma lente pra encontrar o fiapo quando vai mijar? perguntou o garçom em tom sarcástico. Novo ataque de riso em todos. Uma barbaridade, aquilo não podia ficar assim. Pareciam um bando de bufões. Totalmente sem limites, completamente escrotos.

Foi daí que o nanico, sem falar nada, de maneira muito tranquila, subiu sobre a cadeira na qual estava sentado. Ficou com a cintura praticamente alinhada à altura da mesa. Abriu a braguilha da pequena calça e deixou que tombasse sobre o móvel um pênis descomunal, que mesmo em posição de repouso chegava perto dos 20 cm. Ficaram todos boquiabertos e de olhos arregalados.

Naquele final de madrugada, o Clovinho acabou levando duas das garotas para um dos quartos e depois de 50 minutos pediu que a terceira também subisse. Nunca mais serviu de chacota para os clientes da nave-mãe. Virou lenda.

9 comentários:

Anônima Experiente disse...

Isso de anão bem dotado é lenda urbana. Eles fazem um servicinho legal é com o bracinho.

Menina Misteriosa disse...

Mudar o ditado para: "o tamanho - do homem - não é documento" ficaria mais de acordo com a "realidade".

Muito bom, Luciano!

MeninaMisteriosa

p.s.: O cara é o Clovinho e não o Alaor. Nada sobre o Alaor foi "provado" ainda. Generalizações não funcionam, principalmente, em casos como esse. =P

Dita Panul disse...

Morro de curiosidade de conhecer um lugar desses...

odiariosecretodeumamariposa.blogspot.com

Sr.Apêndice disse...

Já notei que todo anão é um convencido, mesmo a despeito de se pensar que eles tem complexo de inferioridade. Não se enganem com essas criaturas de 1 metro!

AHuiehaiuehiuahe...

Mais um MCP genial! Abraços

Luciano disse...

Sei não Anônima Experiente. Em todo caso eu é que não vou querer conferir.

Luciano disse...

MM, ouvi dizer que Clovinho é a identidade secreta do Alaor.
Abração menina.

Luciano disse...

Dita - meu conselho é, não morra de curiosidade, escolha um desses lugares, pode ser ao acaso e vá dar uma conferida. Outros bons contos podem pintar.

Sr. Apêndice, como disse uma amiga, são tão puculiares.

Patrícia disse...

Acho que não é lenda não. Nunca vi, mas já ouvi falar dos dotes dos pequeninos.
Muito bom. Bjssss

Vampira Dea disse...

Nunca vi ao vivo mas já vi em revistas pornôs e os danadinhos que vi nas fotos na verdade eram dotados de três pernas. O Alaor também deve ser assim... Bem melhor não divagar mais sobre esse tabú que é o Alaor um mistério... Bem acho que o nosso querido contista nos deve um continho sobre este ilustre personagem.
Beijo Gustavão rsr