domingo, 14 de setembro de 2008

O jovem proxeneta

Teve a idéia por causa do inevitável jeito volúvel da namoradinha. Sabia que no fundo ela não poderia ser só dele. E juntando essa leviandade com uma beleza física impressionante, convenceu-a a se oferecer como menina de programa com namorado supervisor nos chates-emessenes-orcutes da vida.

Incrível como ela vestiu bem o papel. E fez sucesso entre os casados solitários que caçam na internet durante as tardes. Mesmo um pouco contrariada foi às vias de fato com os programas, e mesmo enojada começou a gostar. E conforme combinado dividiu os proventos com o namorado corruptor.

Ia e voltava de ônibus (guardava o dinheiro do táxi), nunca se envolveu emocionalmente, rolavam uns quatro programas vespertinos por semana. Acabaram morando juntos. E a relação de pele se transformou em paixão. Como era de se esperar ele se arrependeu e mandou ela parar. Viveriam do que?

Ela fez de conta que parou e que tinha arrumado um emprego de vendedora da Forvm. Quando ele descobriu que os programas continuavam foi dominado por um ímpeto, resolveu tudo com um empurrão que a projetou do décimo primeiro andar. Antes que a história virasse manchete de jornal ele se mudou para o Amapá.

:: 14.09.2008 ::

30 comentários:

Flavinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edu C. disse...

Admirável a sua capacidade de dizer muito com tão pouco. Mas haveria aí uma inspiração rodriguiana?
Abraço

iara disse...

concordo com o edu, a primeira vez qu vim no blog e fuçei vários posts foi exatamente isso qe me admitou, entre aperversiae e a licenciosidade, a sau capacidade de dizer tudo em poucas linhas e precisas palavras.

afinal ele tinah uma escolah ou assumai o lado cafetão ou trocava de garota, não conseguiu...deu no que deu. no texto e na vida tb daria. só terminaria com a morte.

bjs

Daniel Salles disse...

Boa Gustavão!! Corte cirúrgico, como sempre!

Abraço!
Fidel

damaria disse...

Se o mini conto fosse traduzido em um provérbio moderninho, seria: "não sabe brincar, não desce pro play!".

Taynar disse...

Concordo com o Edu.
Me senti lendo algum conto do Nelson, onde o soneto quase sempre termina assim.
Homens... Na verdade, não são só eles.

Porque o Amapá?

Beijos

Toninho Moura disse...

É, tem gente que não se dá bem com o sucesso!
Braços!

PS: Venha conhecer as "Confissões Sexuais da Mulher Maravilha"

Mary West disse...

Sinto cheio de possível assassinato no ar, ainda bem que ele se mudou. ;)

J i l s disse...

Isto parece o caso do casal aqui de Curiiba ... com a unica diferença de que o homem pulou atras arrependido...
;)
hehe

liegep disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ragas disse...

Dizem para nunca cuspirmos no prano que comemos, nosso amigo fez pior, cuspiu O prato no qual comia...

postei um conto sobre a morte de um amigo de um amigo meu no meu blog...uma homenagem póstuma...quem quiser ler é só acessa http:vandosquebrados.wordpress.com

Abrazzo Ragazzo

Ragas disse...

desculpem o erros...teclado novo...hihihihihihihi

Taynar disse...

Acho que nunca li uma frase que resumisse tanto o que eu sinto, como a que tu comentaste lá no meu blog agora =)

Taynar disse...

Lindinha, boazinha...
Nada contra, adoro elogios, mas palavras assim sempre me trazem o sentindo de pessoas que sempre se dão mal...
Sabe aquela coisa do cara bonzinho? Pois é.

Dizem que mulher amadurece mais cedo, vai saber.
É aquela velha questão do timing.

minicontosperversos disse...

Flavinha - e onde come UMA, comem VÁRIAS?

edu/iara/taynar - mais para o daltoniana; tá mais perto, é mais sucinto e menos reaça; mesmo porque, confessamos que lemos pouco do nelson rodrigues (vamos corrigir essa falha, em breve)

mas lemos duas vezes "a saga de jeitosinha"; alguém conhece?

iara/toninho - a culpa não foi dele (nem dela); foi da PAIXÃO, essa maldita sempre culpada

daniel (fidel) - e continuamos no árduo trabalho de afiar o bisturi

mariamélia - tem uma que se aplica bem para as meninas: "esfregou a lâmpada? não reclame se aparecer o gênio"

taynar - o que sobre os homens? // amapá porque é longe (e ninguém nunca lembraria de procurar lá // aquela das moças que se atropelam ao se amadurecer cedo? // lindinha sim, e sem o sentido a que vc se referiu; lindinha e pronto, em geral com mais carinho do que simplesmente linda

mary - só porque ele a empurrou do 11º andar?

jils - de quando isso? será que não pularam de mãos dadas?

liege - bom ver você dando as caras por aqui, amiga; homem "sem chifres" raivoso? e como fica o "de chifres"? explode?

ragas - isso mesmo! é o caso do cozinheiro que joga fora as panelas

Edu C. disse...

Gustavo, tem recado pra vc no meu último post...
Abraço

Edu C. disse...

Gustavo,
Não encontrei seu e-mail para te mandar a referência por lá. Se quiser depois apague este comentário.
O trabalho do Libor Kappel está em http://www.liborkappel.cz/
Eu comentei no post "Créditos", de 30 de agosto.

Abraço

Flavinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
minicontosperversos disse...

edu - obrigado pelo selo, é uma honra; e quanto ao link, que nada! que todo mundo acesse e veja as fotos lindas que o Kappel faz; temos um conto de contribuição da lu campos p., que fala da vizinha também; falta só a foto para publicar (ela que é fotógrafa não quer fazer umna com toque amador daquele jeito, né, lu?), e nos parecia perfeito uma bem nesse estilo

flavinha - a pergunta era retórica; já sabíamos a resposta. aliás, mais que que retórica era PROVOCATIVA

Taynar disse...

Menos reaça? Não sei não, viu...

Homens começam a brincadeira, mas geralmente não aguentam no meio. Como damaria disse: "não sabe brincar..."

O Amapá nem é tão longe. Tá mais perto de mim do que de ti. Quanto a não lembrar de procurar lá, tá, eu concordo.

É, pode ser desse tipo de moça. Se atropela, se extropia tbm.

Ok, aceito e agradeço o elogio. =)

Violeiro disse...

Mudou-se pro Pará ele e o seu editor,pois não?Valeu o "Toc"...abraçares...

Bem Resolvida disse...

incrível como a paixão muda a maneira de pensar completamente!!
antes ela podia, agora ele a mataria!!

e isso acontece tanto né?
Minha mãe que vê muito linha direta (viciada em rede globo) vive me falando dos perigos dos crimes pacionais!!!
HAHAHAHAHAHAH
ai mamãe!!!


olha, queria seu comentário no meu post de hoje!!
beijos

Bem Resolvida disse...

e olha que é uma palavra que vivo falando (escrevendo) com sexy nerd!!
distração é foda!!
e vc não perdoa né? rs

Victor Hugo disse...

Compartilho com o amigo ter lido pouco Nelson Rodrigues e mais de uma vez "A saga de jeitosinha".

Abraço,
Vitinho

A Senhora disse...

É interessante, porque podemos pensar em casos extremos em que a paixão chega às raias da loucura e inconsequencia. Entretanto,só o fato de mudar de parceiro muitas vezes já causa a revolta, um tiro na cara, ácido, fogo, jogar da janela do prédio...

bjs.

minicontosperversos disse...

taynar - dissemos MENOS reaça, mas ainda reaça; agora... paramos com esse bla-bla-blá e vamos ao que interessa?

violeiro rapper - un abraçaro""! e pq tirou nuss comentahlio de lá""""?,,

bem resolvida - 1) acontece mais do que a gente imagina (daqui a pouco a madame aí tá de blog fora do ar); 2) comentamos a mais pura verdade; 3) aqui é sem perdão, mas vc sabe que é com carinho, né?

vitinho - o engraçado é que ninguém perguntou "que jeitosinha?"

sra. miriam - isso, e derrubar a moto com o carro, e jogar o controle remoto pela janela etc. mas a questão ali é que o mancebo propôs o jogo...

Jean Rocha disse...

Pois, este aí é adepto daquela máxima do amigo Paulinho Mixaria:

"É melhor repartir picanha com os outros, do que comer pelanca sozinho!"

Abraço!!!

A Senhora disse...

propor o jogo foi uma forma de conquistá-la. uma vez feito, entra no comum... ou perverso.
ou propor o jogo foi o lado perverso?;)

minicontosperversos disse...

jean - na teoria pode ser, mas na prática o cara sempre acha que está comendo sozinho, seja picanha seja pelanca; uma revelação: via de regra a pelanca costuma ser mais comunitária

sra. mirian - ele propôs o negócio porque não considerava as qualidades da moça para "matriz"; e isso não foi tão perverso assim. basicamente ele subestimou o perigo da paixão

episódio engraçado da concepção desse MCP, em particular para as conhecedoras da geografica do norte: o tosco aqui pensou no acre (que parece o mais isolado de todos os estados) mas escreveu amapá; ignorância geográfica mesmo; se bem que o nome amapá é bem mais engraçado e sonoro. qual dos dois é mais famoso?

Jean Rocha disse...

Acre, com certeza!!!