segunda-feira, 5 de maio de 2008

Hipocrisia do erótico

A única fantasia que me sobrou irrealizada é fotografar uma mulher bonita, pelada, em poses excitantes. Não o erótico, esse é fácil. Eu quero é o vulgar, desprendido, o pornográfico. O que diferencia os dois é que no erótico não é permitido sentir prazer, artístico demais para outras sensações que não a estética. Eu quero mais. No pornográfico, o que se faz é pela safadeza, pelo tesão. Ela disse isso para o grupo, mas sei que foi dirigido a mim. Há tempos que eu era fotografada pelos olhos dela nua e provocativa. Decidi que ela me fotografaria primeiro com as mãos e depois com a objetiva. Foi o melhor de todos os meus ensaios, mas que jamais poderá ser publicado. Nem depois que eu morrer. Não é assim que eu desejo ser lembrada.

:: 14.05.2003 :: Foto German prostitute, de Julica da Costa

15 comentários:

iara disse...

hummm
bem escrito, interessante, instigante, mesmo que curtinho...

bjs

A Bruxa disse...

Interessante como é mais fácil falar quando se trata de um homem e uma mulher... e não duas mulheres.

minicontosperversos disse...

Tínhamos esquecido da foto. Tava há um tempão guardada.

Iara: "mesmo que curtinho"? sobra o que pra gente aí?

Mirian: é que aquele blá nos sugeriu uma professora de estética. Pra homem, realmente, seria muito fácil falar/fazer aquilo

Dêem uma olhada no último comentário do Jean, no post "Pequeno diálogo..."; valia um conto

A Bruxa disse...

eu ia comentar isso no do jean, mas já estava tão longa a lista de comentários que eu ia esperar ele aparecer por aqui para dar a sugestão.

o cara é fera! estilo diferente, óbvio!

Fada Sininho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
iara disse...

mesmo que curtinho ...é que vc poderia ter escrito um tijolão pra dizer algo tão profundo e sexy (eu achei) e foi direto ao ponto, foi só isso gustavão, me expressei mal...sorry

Lígia Carvalho disse...

Quero acreditar que minha cara metade tenha um pouco de sensual, casual, animal e ponto final (.)

Louise disse...

Sorry pela falta de inspiração pra comentar algo que preste (ha-ha)... hoje tô com o freio de mão puxado.
Beijo!

Lo
(mas essa verificação de palavras, hein? tô cegueta!! tekpdqma)

Flávia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana disse...

Eu amo fotografias, sejam elas quais forem, mas as sensuais e similares p/+, são as prediletas.
Adoro fotos mas sou uma péssima fotógrafa,,rsss,,,,,

Te linkei.

Beijo e bom dia

Jean Rocha disse...

Gustavão, conto muito completo!
Cara, tu conseguiste explorar limites em todos os âmbitos: conseguiste bater no limiar entre o lacônico e o conciso; entre o cru e o vulgar; dosaste de maneira correta a mistura entre o olho do leitor e do narrador. E, é claro, conseguiste renovar a poética no já tão batido assunto erótico X pornográfico / homossexualismo X sacanagem.
O grande barato da perversão é quando conseguimos ser despojados e até mesmo meio ofensivos, sem quebrar a casquinha da moral.

Abração!!!

(ah, e mais uma vez, obrigado pelos incentivos mil, pelas palavras massageadoras do meu já inflado ego...)

minicontosperversos disse...

Mi: isto se chama sincronia

FS: homem "p. da vida" tendo chilique? coisa de viado; repense suas prioridades

Iara: queríamos dizer mais ainda com menos; vivemos numa era de preguiça e excesso de informação, certo?

Lígia: a experiência nos diz que esse lance de "casual, sensual, animal e ponto final" dura só nos primeiros meses; depois vem um "deixa disso, compromisso"

Lo: com esse frio de Curitiba dá preguiça até de soltar o freio de mão

Flavinha: você não dorme? sobre a contribuição, ficamos no aguardo (só não pode ficar com pudor, hein?)

Mariana: o problema das fotos são os modelos; tamos aí, ok?

Jean: sabe que quando esvrevemos o conto, sentimos falta das aspas no discurso da professora, mas por ousadia deixamos de fora (influência do ruben fonseca); cremos que ficou subentendido. sobre sua contribuição, sem pressa -- também somos avessos a prazos

Se bem que "a pressa é amiga da criação"; e "a necessidade é mãe da invenção" (esta última, do amigo aramis nasser, que já não está entre nós)

Sobre o continho de hoje, preferimos comentar aqui pra não influenciar. Extremamente provocativo. Será que vai polemizar?

Jean Rocha disse...

hehehe, eu comentei lá, mas me centrei na perversão da loirinha, já que o lucro dos marmanjos foi óbvio. Creio que a questão que fica é: quem é mesmo o gênio nesta história toda?

Abração!!!

Lígia Carvalho disse...

Gu, meu direito e réplica...
Pensei que eu é que era a solteira convicta...
Não devemos fujir de compromissos, a não ser que sejam banais, pra ter companhia, por exemplo. Do contrario tô facinho facinho... SE eu suspeitar que tô amando, ai pode pegar a coleira....
Você bem sabe que algumas coisas duram mais que alguns meses..
Tá descrente hein?!

FERNANDO disse...

Gustavo, excelente, hein, meu caro! Gostei da forma que ela descreveu o pornográfico. Penso da mesma forma. Por isso odeio o erotismo. Gosto de subliminariedade em tudo, menos no sexo.

E ficou melhor ainda com duas mulhertes. Hehehe.

Abraços!