quarta-feira, 7 de maio de 2008

Luto

Morreu na semana passada Albert Hoffman, o pai no LSD (ácido lisérgico). O figura não só descobriu o barato da droga ao ingerir acidentalmente, como tomou outras vezes para confirmar se ela batia mesmo. O laboratório em que ele trabalhava lançou o "doce" em escala comercial, para tratamento de distúrbios psiquiátricos, mas o abuso dos hippies (sempre eles) forçou a retirada do produto do mercado.

Morreu aos 102 anos... depois dizem que faz mal.

Se pesquisarem no google vão descobrir que ele baseou a pesquisa num fungo que dá no centeio. Na idade média o povo comia pão de centeio embolorado, provavelmente com esse fungo. Depois viam lobisomem, bruxas voadoras, fantasmas, santas, enfim...

O link da Folha tá aí - http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u397076.shtml

7 comentários:

J i l s disse...

Adoro releituras históricas...
Sua versão pros seres míticos é bem plausível...
hehe

A Bruxa disse...

bom, se ele conseguiu 102 com lsd, eu devo conseguir algo mais, só com café, né? rsss

Louise disse...

e cadê tua amiga lá, pra conhecer o pai do doce? hahahaha
(brincadeirinha...)
Bjo

A Bruxa disse...

Louise, Louise...

Ela está de regime.Quer dizer, eu acho... Ou achava. Bom, de qualquer forma, acho que ela não precisa desse doce.rssss

o casalqseama disse...

102???
e ainda consideram uma droga pesada... rsrsrsrsrsrs

luto nosso tbm!

bjs*

Jean Rocha disse...

De repente me senti tão natureba... acho que vou morrer cedo.
Não precisa muito mais que uma coca-cola e umas trufas de castanha pra eu viajar legal hehehe...
Acho que um ácido seria catatonia certa!

Abração!

minicontosperversos disse...

"Toda lucidez será perdoada."

Timothy Leary e/ou Aldous Huxley, notórios amigos e admiradores da D. Dietilamina