segunda-feira, 19 de maio de 2008

Luciana Tayanara - O vestido da noite

Depois do episódio da sessão fotográfica e do beijo incerto, o pessoal dispensou a Luciana Tayanara e foi almoçar no restaurante da dona Maria, um barraquinho simples e especial onde tinha comida caseira feita com carinho e em quantidades suficientes para debelar ressacas homéricas. De tira-gosto pinguinhas curtidas em guaco, sassafrás, alho, butiá, enfim, remédio pra tudo que é doença.

Depois da inevitável “siesta” a cambada foi pra beira da praia esperar as amigas que viriam de Jaraguá, alemãzinhas simpáticas e cheias de amor pra dar. Fim de tarde encostou o fusquinha com três meninas (ué, não eram cinco?), aquele clima de quem-vai-ficar-com-quem, cervejas bombando no botequinho, até que desponta na paisagem o vulto da Luciana Tayanara num vestido preto de baile, descalça, vindo direto na direção dos novos amigos.

Ninguém assumiu a autoria do convite à doidinha (desconfiaram do Marquinho, empolgado com as novas possibilidades dos dentes escovados), mas ela chegou abafando, falando obscenidades (hoje eu vou transar com você, mais você), afugentando as jaraguenses. O Miguelito nem olhava pro lado, o que despertou o seguinte comentário em voz alta: “Primeiro tira foto de mim pelada na praia, depois faz de conta que não me conhece”.

Um barraco estava se armando, a doidinha começou a gritar e ameaçava tirar a roupa. O Chico, o mais ponderado, tentou uma mediação, mas tinha que se desviar dos beijos dela (nossa! você deve ser o mais pintudo!). E quanto mais ela falava menores as chances de alguém se dar bem com as alemãzinhas, e foi aí que o Zé, que não saía do lado da mais peitudinha e não queria conversa, se comoveu e entrou em ação. Pegou a surtada pelo braço e, vinte minutos depois, voltou sozinho. Não disse como resolveu, ninguém insistiu em saber, mas naquele final de semana, a partir dali, ninguém foi de ninguém.

:: 13.05.2008 :: seqüência do MCP publicado em 24 de abril

18 comentários:

minicontosperversos disse...

A Flavinha fez de novo. Só que desta vez não vamos publicar aqui. Os fãs dela daqui que leiam lá:

http://sabe-de-uma-coisa.blogspot.com/

Movimento Rápido de Olhos, nome da atualmente morna banda de rock indie.

Não faz mais isso com a gente não, Flavinha.

Jean Rocha disse...

Realmente, a Flavinha faz. Sempre.
Ótimo texto, o dela.

Flávia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jean Rocha disse...

Quanto ao texto daqui, uma medalha pro Zé, ao melhor estilo Mutley!
Acho que ele nem precisava contar como resolveu, não é?

Abração!

http://34deverdade.890m.com
http://www.focolibre.co.cc

Flávia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
iara disse...

rapaz! zé é um macho corajoso!!!
rs

Flávia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Bruxa disse...

Esse Zé é de resolver as coisas pendentes, não? ;)

Sim, sagitariana.

AnônimA AnemonA disse...

Zé é "pau pra toda obra"!Mas a dúvida que não quer calar, ele ainda deu uns catos na peituda, ou ficou só na vontade?

louise disse...

Então.
Falando em pau, seria o Zé o (gasp) Mr. Holmes brasileiro??

hmmm

louise disse...

ainda: amei o blog da Flávia. Sobre o R.E.M. (opa, falei), realmente ela tem o dom de cativar os machos de plantão... mas, romântica que sou, amei o post "Crônica de uma Tarde". Deu vontade de roubar.

Aiai.
Desculpa o off topic!

Camilla disse...

Nossa, é uma longa história...
Mas um amigo meu que é 13 anos mais velho falou de Twin Peaks, mais ou menos na época que saiu a primeira temporada em dvd. Eu assisti por assistir e fiquei viciada, vi o final em vhs e tô vendo tudo de novo haha

Ah, e AMEI o jeito que anunciaram Twin Peaks em Portugal hauahua...Muito bom!!
Beijoo

LoLa disse...

O Zé se deu bem? rs

Beijos

minicontosperversos disse...

Jean: tá bom tá bom, quer dizer que da seqüência da Luciana Tayanara... bem, o pessoal sempre diz que as continuações dificilmente superam o primeiro filme; e NINGUÉM fora o Zé sabe como ele resolveu o problema

Flavinha: a Luciana Tayanata era uma doidona de carteirinha; a Lo ali embaixo entregou o nome da banda; o que que vc fez? outro continho WETUNDERWARE; e é SUNGA do amândio, porque ir pra praia de cueca é feio

Iara: diríamos um tremendo ensaboado

A bruxa sagitariana: aparentemente é justo o contrário; ele deixa um rastro vermelho por onde passa, como os vampiros, os potes de catchup e as moças de chico

Anônima Anêmona: a lenda diz que o único que se deu bem naquele FDS foi o Zé, e com a peitudinha; mas como os outros eram uns tremendos rodas-presas, ele quase se atracou tb com a ruiva que um dos colegas desperdiçou

Lo: "Mr. Holmes" de Sherlock Holmes? Quem sabe é a vocação latente do rapaz...

Camila: vai que 13 é seu número da sorte

Lola que era paola: o Zé nunca se dá bem; os românticos são aqueles que invariavelmente sofrem no final

Louise disse...

Mr. Holmes dos centímetros, polegadas, sei lá...
Eita, só eu tenho mente suja, é?

Toninho Moura disse...

Dependendo da hora, uma doidinha até que cai bem!

Seguinte: obrigadaço pelos comentários e pelos elogios. A correção foi feita, e o lance da menina, bem, não era bem aquilo, veja o comentário que fizemos lá.
Aproveitando, o "Fragmentos de um Romance" é uma história de mistério em capítulos, e você leu o oitavo. Já colocamos os links para os capítulos anteriores no final desse, e à direita do blog você encontra a "playlist". Playlist?
Braços!

PS: Não estamos conseguindo fazer o feed no seu blog!

Carolina Herrera disse...

Their texts are very good.

minicontosperversos disse...

Lo: Ahhhhhhhhhhhhhhh bom! Esse Ho,mes não faz parte do nosso imaginário. Quer dizer então que o que vc perguntou é se o Zé é bem dotado... Não temos a mínima idéia.

Toninho: Ok, vamos lá ler a história toda, grandes expectativas. E sobre o feed, temos uns três problemas técnicos a resolver. Pretendemos fazê-lo logo. Mas a dica é que publicamos todos os dias úteis, salvo raras exceções.

Carolina Herrera: their o que?